sexta-feira, 26 de março de 2010

JBS-Friboi deve patrocinar o São Paulo


Fotomontagem de como ficaria a camiseta do São Paulo com o patrocínio da Swift

Reprodução: exame.com

Clube paulista teria sido procurado também pelo oitavo homem mais rico do mundo, o empresário Eike Batista

Thiago Bronzatto - 26/03/2010 12:45

São Paulo - O São Paulo está próximo de fechar um acordo de quase 40 milhões de reais com o grupo JBS-Friboi para estampar a marca da processadora de carne Swift na camisa do clube. Desse total, cerca de 30 milhões seriam referentes à frente e às costas da camisa e outros 10 milhões, às mangas. Segundo fontes ligadas à companhia brasileira, o negócio deverá ser anunciado no início de abril.

O interesse da JBS em patrocinar o São Paulo reflete a retomada dos investimentos das empresas alimentícias no futebol. O caso mais famoso remonta à década de 90, quando a Parmalat fechou uma parceria de cogestão com o Palmeiras.

Atualmente, a marca Batavo, da Brasil Foods, está presente na camisa do Flamengo. No ano passado, a parceria da Batavo era com o Corinthians. No Santos, embalado por Robinho e Neymar, a Seara, do grupo Marfrig, é a principal patrocinadora. "Aparecer em rede de televisão nacional e ter milhares de torcedores exibindo a nossa marca compensa muito mais do que comprar alguns minutos na TV aberta", afirma um diretor de marketing de uma grande empresa.

Com o fim do contrato de patrocínio entre a coreana LG e o São Paulo, algumas empresas começaram a paquerar um espaço na camisa tricolor. O Grupo EBX, do executivo Eike Batista, eleito o oitavo homem mais rico do mundo, fez uma proposta tentadora, que ainda não foi completamente descartada. A ideia dos dirigentes do time paulista é aproveitar a marca EBX para firmar outras parcerias futuras.

A Sony também entrou na disputa por ocupar a frente e as costas das camisas do São Paulo. Mas, segundo fontes ligadas à empresa, a negociação naufragou porque a filial brasileira não conseguiu convencer a matriz no Japão a liberar o montante exigido pelo clube paulista.

Ao contrário do que foi especulado, a Petrobras não tem interesse em patrocinar o São Paulo. A estatal brasileira está apenas em negociação com o clube paulista para ajudar na reforma do estádio Morumbi para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

Outra noiva que flertou com o clube paulista foi a Nestlé. Mas, de acordo com um conselheiro do São Paulo, o casamento não vingou por dois motivos. Primeiro porque a proposta da Nestlé não atingiu as expectativas do time. E, segundo, porque a empresa não queria ter uma parceria de longo prazo, o que, para o clube paulista, não seria interessante.

Neste domingo, no clássico contra o Corinthians, o São Paulo deverá estampar provisoriamente na manga da camiseta a marca Locaweb. O patrocínio interino foi fechado na semana passada e ajudará o time arrecadar cerca de 2 milhões de reais, o necessário para encerrar o mês de março sem prejuízo financeiro.

Procurado por EXAME, o São Paulo não confirmou as informações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário