quarta-feira, 30 de junho de 2010

O Circo já esta armado

Pirituba põe São Paulo na Copa-10
Pago com verba pública, secretário de Kassab viaja para a África do Sul

Eduardo Arruda
Enviado especial a Johanesburgo

Juca Kfouri
Colunista da Folha

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, nomeou seu secretário de Planejamento Urbano, Miguel Bucalem, para definir o modelo de negócio utilizado para a construção do estádio paulista da Copa-2014, em Pirituba.

Bucalem chegará no dia 5 à África do Sul em viagem oficial da prefeitura e bancada pelo erário público. A agenda do secretário municipal foi organizada pela Fifa.

O representante de Kassab vai se encontrar com dirigentes da Fifa e técnicos da prefeitura da maior cidade sul-africana. Eles vão mostrar como foi feito o planejamento financeiro para a construção e modernização dos estádios.

O prefeito chega a Johannesburgo no próximo dia 6, mas não deve participar das discussões técnicas.

Johannesburgo tem duas arenas: o Ellis Park e o Soccer City, palco da abertura e da final. Este deve servir de parâmetro para o Piritubão.

A Fifa não abre mão de realizar o jogo inaugural do Mundial brasileiro em São Paulo. Após descartar o Morumbi, a entidade articulou para "ensinar" os paulistas a como fazer seu estádio.

O modelo africano, que consumiu cerca de R$ 3,1 bilhões na reforma e construção das arenas, foi todo bancado pelos governos federal e municipal das dez sedes.

Com exceção do estádio de Nelspruit, todos os outros passarão à iniciativa privada após o Mundial e, em contrapartida, os concessionários se comprometem a manter as arenas. Em alguns casos, há a previsão de que parte das receitas das concessões volte para os cofres públicos.

A ideia da prefeitura, a Folha apurou, é realizar Parceria Público Privada para erguer o estádio em Pirituba. A administração Kassab já informou, repetidas vezes, que não investirá dinheiro para a construção da arena.

A verba viria de grupos indicados pela Fifa, e a construção deve ser responsabilidade da Odebrecht, dizem pessoas envolvidas com o negócio. Haverá, porém, licitação para a concessão e exploração do estádio.

Além disso, a prefeitura tem de resolver o problema da desapropriação da área em Pirituba para a obra, que contempla ainda construção de um centro de convenções.

Parte do terreno é usado pela iniciativa privada.

O prefeito pode fazer um DIS (Decreto de Interesse Social) para retomar a área.

À prefeitura caberá elaborar novo plano de mobilidade urbana para a criação de uma rede de transporte público para servir ao local, como exigido pela Fifa.

O projeto de mobilidade urbana apresentado pelo comitê paulista da Copa-14 à entidade prevê obras e melhorias na região do estádio do Morumbi. Essa discussão está na pauta do secretário de Kassab na África do Sul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário