quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

São Paulo tem ambições e metas definidas para o Morumbi em 2011

Reprodução: LANCENET

Projeto prevê cobertura, novo espaço para shows e novidades no Concept hall

Na expectativa de fechar 2010 com R$ 35 milhões de lucro com o Morumbi, a cúpula são-paulina já pensa no estádio para o ano que vem. A ideia é a de que a arrecadação seja 20% maior. Para isso, novas fontes de renda e expansão de outras já atuantes estão em pauta.
Duas questões estão bem avançadas. Ambas contam com parceiros em estudo para naming rights (concessão de direito de nomes). Seguindo a intenção de manter o projeto para Copa de 2014, mesmo com a Fifa descartando o estádio, a ideia é começar a cobrir o Morumbi. Para isso, o investimento será de até R$ 150 milhões. Além disso, uma "arena" será construída, sendo está com capacidade para 25 mil pessoas (mais no quadro abaixo).
– Não teve porque mudarmos o cronograma, que está sendo mantido. Em dezembro de 2013 teremos o Morumbi adaptado para a Copa, com possibilidade da cobertura, que está próxima de acerto com um investidor. Se ele topar, então vai acontecer em breve – revelou ao LANCENET! José Francisco Manssur, membro do comitê da Copa-2014 e também do departamento jurídico do clube.
– Vai ter cobertura maior no portão principal, onde vamos fazer uma arena para 25 mil lugares, que não se usa o campo todo. Sexta tem show e jogo no domingo. Estamos conversando com empresas para algumas ações, tudo sem comprometer o futebol. Inúmeros shows, em que se reúne 25 mil pessoas na quinta e outro de cinco mil na sexta. O projeto está delineado, mas merece um investimento grande. Precisamos agora do naming rights – completou Júlio Casares, vice de comunicação.
Com a cobertura, a diretoria acredita que o estádio ficaria ainda mais atraente para receber artistas internacionais, grande fonte de arrecadação (mais na próxima página).
Ano que vem também será inaugurada uma temakeria e estuda-se a possibilidade de uma casa para espetáculos. Com isso, segundo a cúpula, o Morumbi Concept Hall estaria completo. Em 2010 foram lançados um buffet infantil, o Copa Bar e uma academia de ginástica. Além deles, camarotes foram vendidos. Hoje são cerca de 60 nos arredores do estádio.
Dando seguimento ao que se pretendia para Copa de 2014 e acrescentando atrativos ao público, o Morumbi se moderniza e o clube ganha cada vez mais dinheiro sem o futebol.

Projetos, obras e ambições para o ano que vem
Shows: A expectativa é a de que o Morumbi tenha entre dez e 12 datas de 2011 destinadas para espetáculos no estádio. Até agora, cinco já estão ocupadas. São três os shows confirmados no local.
Arena para shows: Um local com capacidade para receber 25 mil pessoas já foi projetado e deve começar a ser utilizado ainda em 2011. Para isso, falta acertar com um parceiro. O mesmo ficará localizado logo após a entrada do saguão, dentro do estádio, com cobertura. De fácil montagem, poderá ser utilizado em um dia e depois de dois o local estará à disposição para jogos de futebol. Setores térreo, arquibancada e cadeiras serão utilizados, além de um espaço móvel para mesas.
Casa para espetáculos: No Concept Hall, que, entre outras coisas, conta com a megaloja e um buffet infantil, a ideia é construir um espaço para apresentação de peças de teatro ou até mesmo salas de cinema. A intenção existe, mas ainda não avançou. Alguns parceiros estão sendo estudados.
Temakeria: Será inaugurada em 2011. Já está em construção e será mais uma atração gastronômica do estádio, que já conta com o Copa Bar, inaugurado este ano.
Cobertura: Continua sendo objetivo do clube realizar as obras para cobertura das arquibancadas. O investimento gira entre R$ 100 milhões e R$ 150 milhões. Para colocar em prática, falta encontrar um parceiro. Alguns estão sendo estudados e o acerto pode acontecer em breve. Quem for escolhido, terá o naming rights (concessão de direito de nomes).

Confira bate-bola exclusivo com o diretor de marketing Júlio Casares
LANCENET!: Muitas obras já foram feitas no Morumbi. Ainda existe espaço para outras novidades?
Júlio Casares: Existe. Vamos ter de criar ativos em relação ao espaço, mas temos espaços. É preciso adaptar, porque tem as questões arquitetônicas. Vamos ter uma temakeria e um sushi e ainda cabe uma casa de espetáculos. Isso tudo dentro do Concept Hall. O primeiro passo foi dado com a megaloja, mas existia gente que criticava, porque pensavam que era coisa de visionário. Hoje temos uma grande receptividade de público. Temos turistas, estudantes, como em qualquer estádio do mundo.
LANCENET!: Mesmo com as melhorias, o estádio segue fora da Copa de 2014. A exclusão atrapalhou os projetos que seriam feitos?
JC: O impacto das notícias negativas atrapalhou para arrecadarmos recursos para obras. Quando veio a negativa, o São Paulo não menosprezou o plano de modernização. Alguma coisa sempre está diferente, seguimos um cronograma próprio, independentemente de Copa ou não. Estaremos preparados e fazendo as adequações. As pessoas vão curtir o Morumbi. Vamos chegar em 2014 com um estádio adequado para o que o Brasil vai precisar, aí fica por conta dos organizadores.

Um comentário:

Anônimo disse...

Boas notícias, O São Paulo e seus torcedores merecem, que tudo se concretize da melhor maneira, fico na torcida.

Postar um comentário