/* --- ---- */ By Guedex: Agosto 2010

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Só tomando uma

O Clube dos 13 entregou esta noite ao Presidente Lula, o título de “Chanceler Honorário do Futebol Brasileiro”.

A cerimônia foi realizada no Parque São Jorge e a comitiva São-Paulina foi composta por Juvenal Juvêncio, Júlio Casares, o gerente de futebol José Carlos dos Santos e o vice-presidente de futebol Carlos Augusto de Barros e Silva.

Para o JJ ter comparecido deve ter rolado um “Open bar”.

Vai rolar a festa

Fonte: Folha

Senado derruba limite de endividamento para obras da Copa-2014 e Rio-2016

O Senado aprovou nesta terça-feira projeto de resolução que autoriza municípios e Estados a se endividarem para obras da Copa-2014 e do Rio-2016 sem obedecer aos limites previstos em lei.

O texto aprovado libera ainda o financiamento nos últimos quatro meses do mandato dos governadores, o que era barrado pela lei.

O autor do projeto foi senador Arthur Virgílio (PSDB-AM).

Enquanto JJ agir assim, não chegaremos a lugar nenhum

Segundo Victor Birner, Sergio Baresi escalou o time no treino de hoje com três zagueiros por ordem de Juvenal Juvêncio.

A meu ver, este é o maior defeito do JJ: ele constantemente interfere na escalação do time. Leão saiu do clube por causa disso e já ouvi de mais de uma fonte que isso era corriqueiro quando Autuori era o técnico, e por isso, tenho uma certa restrição a seu nome para o comando do time.

Outro exemplo é o de Muricy, que sempre preferiu o 4-4-2 mas JJ não contratava laterais para forçar a adoção do 3-5-2. A situação permaneceu com Ricardo Gomes.

Isso explica o fato de há anos, só termos alas no elenco. Não é que eles não existam no mercado, é JJ que não os quer.

Outra coisa que o Birner confirma, é de que Baresi esta sendo boicotado no CT. Vários comentaristas já revelaram que Baresi não é bem visto pelos jogadores e demais profissionais do CT por ter chegado querendo “mudar as coisas”, colocado alguns atletas na reserva e implantado os métos que utilizava nas categorias de base.

Cadê a disciplina? Cadê o respeito a hierarquia que sempre foi a nossa marca?

E o pior é que ao invés de JJ resolver esses problemas, que são muito sérios, fica querendo escalar o time.

Esse São Paulo esta realmente uma zona!

Financial Times: estádio corintiano é caro e ultrapassado

Reprodução/Fonte: Exame, Sempre Tricolor

Publicação inglesa diz que estádio escolhido para sediar a abertura da Copa de 2014 dificilmente ficará pronto no prazo estabelecido pela Fifa

Cacau Araújo, de EXAME.com

Um artigo publicado nesta terça-feira (31) pelo jornal britânico Financial Times critica a decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014 no estádio do Corinthians - que ainda está no papel. O artigo afirma que "dificilmente o estádio ficará pronto até 2012", o prazo estabelecido pela Fifa para que o estádio esteja dentro das exigências da federação.

Segundo o FT, o estádio corintiano foi escolhido pela CBF no lugar do Morumbi (sede do São Paulo Futebol Clube) e aprovado pela Fifa sem que o presidente da confederação, Ricardo Teixeira, tenha sequer visto o projeto para a obra. "Esta é a forma como as coisas são feitas pela CBF", aponta o jornal. De acordo com o artigo, a decisão representa uma aposta de Teixeira, que, talvez não coincidentemente, é aliado do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, e inimigo de Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo.

O artigo do Financial Times também levanta a questão do preço da obra que será realizada pela Odebrecht. "O novo estádio custaria R$ 350 milhões, um pouco mais da metade do que o São Paulo teria que gastar para reformar o Morumbi", diz o FT.

O jornal reclama ainda do número de assentos previstos no projeto do estádio (48 mil) que também está fora dos padrões da Fifa - que exige o mínimo 65 mil lugares para os torcedores. "Sanchez disse que o estádio do Corinthians pode ser melhorado para atender à demanda, mas o clube não financiará este aumento, que pode custar até 180 milhões de reais. Os governos municipal e estadual também disseram que não pagariam a diferença", levantou a publicação.

Mas, segundo o Financial Times, a principal questão é o tempo. "Especialistas em infraestrutura dizem que são necessários 30 meses para construir um estádio do início". Precisa-se ainda de mais tempo para fazer relatórios de impactos ambientais, consultar moradores da área e fazer as mudanças legais inevitáveis.

O jornal faz as contas: "isso significa que, mesmo que a construção começasse amanhã, o estádio não estaria pronto até o fim de 2012." O prazo foi dado pela Fifa para garantir que as condições estarão melhores do que as existentes. Para o FT, como quase tudo sobre a Copa de 2014, a comissão organizadora ainda tem mais perguntas do que respostas.

Corinthians vai conhecer o inferno após a festa do Centenário

Reprodução: Portal 2014

Jerôme Valcke, que ficou conhecido como algoz do Morumbi, será o carrasco da arena corinthiana.

Rodrigo Prada - São Paulo

Como minha avó já dizia: Pau que dá em Chico dá em Francisco.

Não pensem vocês que a Fifa vai aliviar suas exigências para abertura da Copa, somente porque o Andrés Sanchez votou no candidato do Ricardo Teixeira na eleição do Clube dos 13.

Jerôme Valcke, que ficou conhecido como algoz do Morumbi, será o carrasco da arena corinthiana.

O negócio da Fifa é a Copa do Mundo. É através deste evento que a entidade máxima do futebol faz caixa para os quatro anos seguintes. A abertura do torneio é conhecida como o “crème de la crème” para seus patrocinadores e a mídia. Por isso, tudo aquilo que foi cobrado do Morumbi será cobrado do Corinthians.

Soma-se a isso o fato de Jerôme disputar com Teixeira a presidência da Fifa pós-Copa do Mundo. Se por um lado o presidente da CBF precisa mostrar que é capaz de organizar o Mundial, por outro, Jerôme também, e não aceitará realizar a abertura num “puxadinho”.

No Morumbi, nem Ruy Othake, que dispensa apresentação, nem a alemã GMP, com experiência em estádios modernos em diversos pontos do planeta, conseguiram agradar aos técnicos da Fifa. Quando conseguiram este feito, quem não gostou foi o SPFC, pois a conta ficou “impagável”.

O presidente do Corinthians disse ontem (29) à “Folha de S.Paulo” que o Comitê Organizador da Copa ainda nem conhece o projeto batizado de Arena Corinthians. Podem acreditar, o escritório carioca responsável pelo projeto desta arena terá muito trabalho para equacionar todos os requisitos da Fifa para abertura do torneio.

Logo de cara, eles terão de mostrar como será possível em 200 mil metros quadrados de terreno implantar um estádio com capacidade para mais de 65 mil pessoas, um estacionamento para mais de 2.700 vagas, um media center, área para TV Compound, áreas vips, áreas comerciais, acessos especiais, escritórios da Fifa, vilas de hospitalidade, heliporto, dentre outros.

Quando acabar a folia do centenário, o Corinthians terá de ajustar seus ponteiros com precisão suíça, para que possa entregar a tempo e a contento seu estádio para festa da abertura da Copa de 2014. Caso não seja possível, baianos, mineiros, candangos e cariocas poderão continuar sonhando em realizar a abertura do maior evento midiático do planeta.

Esse é o "Padrão Globo de Qualidade"

Ontem no Arena SporTV, Wagner Vilaron tentou manifestar sua “estranhesa” em relação ao fato da CBF ter aprovado o estádio do Corinthians sem ter sequer visto o projeto, mas foi prontamente interrompido por Maurício Noriega, âncora do programa, que disse que eles estavam ali para falar de futebol.

Lúcio de Castro, hoje na ESPN, já havia declarado que sua saída do SporTV foi motivada pela censura que ele havia sido vítima ao elaborar matérias que criticavam a CBF.

Pense nisso antes de assisir a “mais um campeão de audiência”.

Ah, e não estranhem se um Globo Repórter do centenário corinthiano pintar na telinha.

Aquilo roxo?

Esta marcada para hoje no Parque São Jorge, uma homenagem do Clube dos 13 ao presidente Lula.

Juvenal Juvêncio esta entre os convidados.

É hora de ver a “cor do saco” do JJ.

Virou casa da mãe Joana!

Nesta madrugada, torcedores do Corinthians picharam o muro do Centro de Treinamento do São Paulo, no bairro da Barra Funda com frases provocativas.

Atualizado às 12h35
Corrigido!

Lula, Kassab e Goldman morderam o fruto

Já começou: R$ 200 milhões para o Corinthians

Segundo matéria do LANCE!NET, Andrés Sanches irá exigir do governo municipal (leia-se Kassab), a concessão em definitivo da área onde o estádio será construído.

Segundo a lei 10.622 de 8 de setembro de1988, a concessão do terreno para uso do clube da marginal teria a duração de 90 anos, e após este prazo a área deverá ser devolvida a prefeitura juntamente com as benfeitorias realizadas no local.

Caso obtenha êxito em seu pleito, o Corinthians será beneficiado com um bem avaliado hoje em cerca de R$ 200 milhões, o que caracterizaria o uso de dinheiro público na obra.

Detalhe: A lei, de 22 anos atrás, que autorizou a concessão do terreno estipulava o prazo de quatro anos para que as obras de um estádio de futebol (e não centro de treinamento)  fossem iniciadas, por isso esta em curso uma ação de reintegração de posse movida pela prefeitura.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Mexendo no lixo (2)

Andrés Sanches, presidente do Corinthians declarou em entrevista à Folha de São Paulo que Ricardo Teixeira não viu o projeto do estádio que será construído em Itaquera. Os únicos que o conhece são o comitê interno, a Odebrecht e os arquitetos.

Sanches disse ainda que a capacidade do estádio é para 48 pessoas e que para a capacidade ser aumentada seria necessário “conversar”.

O Morumbi e seu entorno foi vistoriado varias vezes por integrantes do COL e da Fifa e seu projeto foi exaustivamente analisado em Zurique, sede da entidade. Como algo que não se conhece pode passar pelos “rígidos critérios” da Fifa?

Além disso, pelo que a imprensa tem divulgado, para que a capacidade chegue aos 65 mil expectadores, e que os custos de manutenção do estádio não ultrapasse a capacidade financeira do clube, duas arquibancadas retráteis seriam construídas.

Detalhe: Um dos projetos elaborados pelo SPFC e enviados à Fifa foi vetado justamente por conter arquibancadas móveis

Mexendo no lixo (1)

De acordo com o que foi anunciado até agora, a Odebrecht orçou o estádio Corinthiano, com capacidade para 48 mil pessoas, em R$ 300 milhões. Essa mesma construtora é a responsável pelas obras do novo estádio da Fonte Nova, cuja capacidade será de 50 mil expectadores. Preços da obra em Salvador R$ 571 milhões.

Detalhe: o custo médio de construção na capital baiana é inferior ao da capital paulista.

Milagre?

Curioso...

Hoje no “Bom Dia Brasil”, da Globo, quando passou o segundo gol do São Paulo contra o Fluminense, o narrador disse:

“... Richarlyson deu um chutão pra área e encontrou Fernandão...”

Já no gol do Iarlei, a narração foi a seguinte:

“... após lançamento espetacular de Roberto Carlos...”

Os moinhos venceram

Acabou?

O Morumbi esta fora da Copa 2014.

O que me deixa inconformado é que perdemos essa oportunidade por causa do comportamento pouco inteligente de nossa diretoria, que resolveu brigar com aqueles que queiramos ou não, tem o poder no futebol.

O SPFC não soube fazer política, e isso é fundamental, seja nas relações humanas, profissionais e empresariais.

Mas alguns dirão: “O SPFC não pode se juntar a essa gente, somos diferentes, independentes!“

Mas eu pergunto: quem de nós já não tomou um chopinho com aquele colega de trabalho chato? Quantas visitas a parentes “malas” você já fez? E almoços com a chefia? E outras tantas coisas que fizemos por “necessidade”? Ora isso é política! Sem ela não se vive, isso é fato. E ser político não quer dizer necessariamente ser desonesto.

Mas de uma hora para outra, nosso "Dom Quixote" resolveu comprar briga com a Fifa, a CBF, a FPF, a Globo e grandes clubes paulistas e cariocas. O que poderíamos esperar?

Embora não ache que a eleição do Clube dos 13 tenha sido grande vilã dessa história, sem dúvida a posição de confronto do SPFC prejudicou as já abaladas relações entre o clube a CBF. Outros grandes clubes votaram contra Kleber Leite e nada aconteceu com eles. O SPFC foi “boi de piranha”, canalizou para si toda a ira de Ricardo Teixeira e agora esta pagando o preço.

Valeu a pena?

Eu não queria a Copa no Morumbi por vaidade, para poder “zoar” dos adversários, queria por questões práticas:
  • Sem Copa não haverá reforma porque sem a isenção de impostos os custos subirão no mínimo 30%. Mais custos = prejuízo
  • O SPFC não terá acesso a linha de crédito do BNDES que seria utilizado para construir a cobertura e que além que ter pagamento a longo prazo, oferecia juros baixos. Dinheiro caro = prejuízo
  • O Morumbi será utilizado apenas 2 vezes por mês para os jogos do SPFC. Ociosidade = prejuízo
  • Como haverão poucos jogos no local, e somente para um tipo de público, os preços de publicidade estática irão baixar. Menos anunciantes = prejuízo
  • Investimentos públicos nos arredores e o estacionamento que trariam mais público, não serão feitos. Esqueçam monotrilho: a Caixa já avisou que vai reavaliar o empréstimo. Baixo ocupação = prejuízo
  • A procura pelos camarotes corporativos cairá derrubando seus preços. Preço baixo = prejuízo
Haverá maior concorrência por shows (Pig Arena e Chicken Stadium) e o Morumbi é o único que não terá cobertura. Concorrência + estádio obsoleto = prejuízo
Bom, quer dizer então que o São Paulo acabou? Não. O SPFC seguirá seu caminho vitorioso, só que ele será um pouco mais íngreme.

Bola pra frente.

domingo, 29 de agosto de 2010

Frase da semana

Vai à merda Juvenal!

Guedex, torcedor São-Paulino, ao saber que seu clube sofreu a maior derrota de sua história por caisa da vaidade e arrogância de seu presidente - 27/08/2010

sábado, 28 de agosto de 2010

Caros leitores

Como todos já devem saber, ontem o futuro estádio do Corinthians foi confirmado como sede da cidade de São Paulo para a Copa 2014.

Aqueles que acompanham o blog sabem que eu sempre disse que graças a incompetência da atual diretoria do SPFC, isso iria acabar acontecendo, e mesmo não estando surpreso, confesso que estou tremendamente enraivecido.

Portanto, para poupá-los das palavras de baixo calão que gostaria de proferir neste momento, não irei postar nada até que esse ódio minimize um pouco, porque passar ele não vai.

Até segunda.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Exmo. Sr. Juvenal Juvêncio, a palavra é sua

.
.
.
.
.
.

Precisa-se

Após Leão, demitido pelo Goiás esta manhã , agora a tarde foi a vez de Rogério Lourenço, do Flamengo.

Se a diretoria do São Paulo já tinha dificuldade em encontrar um bom nome no mercado, com a concorrência de mais dois clubes a coisa vai piorar.

Sem Copa, só “puchadinho”

PVC publicou hoje em blog que a diretoria do SPFC esta cumprindo o cronograma de reformas do último projeto enviado ao COL visando receber jogos da Copa 2014.

Segundo Adalberto Baptista, diretor de marketing, como o Morumbi foi vetado pelo COL e não terá acesso a linha de crédito do BNDES a cobertura do estádio não será realizada.

As obras, orçadas em R$ 140 milhões, estão sendo executadas com recursos próprios e de parceiros.

Não conheço os detalhes do projeto em execução, mas acredito que sem o financiamento do DNBES e sem a isenção de impostos, nenhuma alteração de impacto será feita no Morumbi.

Uma pena, pois outra oportunidade como essa, nunca mais.

Mas essa informação me fez lembrar de uma entrevista de Fernando Casal De Rey, onde a certa altura é relembrada a interdição parcial do Morumbi na década de 90 até que os problemas em sua estrutura fossem resolvidos com a instalação dos famigerados amortecedores nas arquibancadas.

A obra foi caríssima e durou três anos, mas se não fosse feita, o Morumbi corria o risco de simplesmente ruir.

Ser proprietário de um estádio não se resume a construí-lo. É preciso mantê-lo e modernizá-lo para que atenda as novas exigências e as mudanças de comportamento do público.

É por isso que afirmo que a parcitipação na Copa é tão importante para o SPFC. Sem ela não temos condições de realizar todas as reformas que nossa casa precisa.

O Morumbi começou a ser planejado no início da década de 50 e só ficou completamente pronto na década de 70. Abrimos mão de muita coisa para isso.

Nada veio de graça. Foi preciso trabalho e resignação.

Não tínhamos vergonha de vendemos carnês para arrecadar fundos e de pedir aos torcedores que doassem cimento, areia, pedra...

Naquele tempo, não tínhamos tanta vaidade.

Para ver a entrevista de Fernando De Rey, clique aqui
Para saber mais sobre a construção do Morumbi, clique aqui

Criança não mente

Entrevista: Raí

Reprodução: LANCE!NET

Com convite, Raí cogitaria ser o técnico

Ídolo não pensa em ser dirigente do clube. Mas, caso receba convite de Juvenal para comandar a equipe...

BENJA: O que está acontecendo com o São Paulo?
RAÍ: Desde quando eu jogava, sempre aprendi que quando você tem uma crise, porque o São Paulo está em crise, é evidente, não existe só um motivo, existem vários motivos. Sou próximo do São Paulo, sou embaixador do São Paulo, mas não estou vivendo lá dentro, não dá para saber o que está acontecendo. Acho que foi uma sequência depois de um período de sucesso. Uma sequência de atitudes, contratações, resultados que não deram certo e que culminaram na saída do treinador, depois um treinador provisório, jogadores sem confiança.

BENJA: O São Paulo contratou mal?
RAÍ: Acho que desequilibrado. Não digo mal em termos de nomes, mas acho que estava desequilibrado. Muitos jogadores em uma posição e poucos em outras. Depois vieram Ricardo Oliveira e Fernandão, que deixaram o grupo mais equilibrado. Estou citando uma das coisas e tiveram outras que não deram certo. Sem contar o estádio, Copa do Mundo, que era muito importante para o clube. Com certeza quando você junta muitas coisas acaba perturbando o ambiente. Fora o Santos e o Inter, não deve para ninguém em questão de elenco. Mas o time está sem confiança, desarticulado e em fase de transição. Então já era esperado que tivesse dificuldades.

BENJA: Nas ruas, as pessoas comentam muito que o São Paulo é arrogante. Você acha isso?
RAÍ: É difícil dizer. Qualquer situação de sucesso repetido pode gerar uma acomodação que você pode pensar que tudo o que tem funcionado, tem dado resultado e vai continuar dando. Uma acomodação é natural. Ela pode ter acontecido e alguma falta de cuidado com alguns detalhes que acabaram degringolando.

BENJA: Por ser o São Paulo, surpreende essa crise, ver as portas do CT do clube serem abertas pela diretoria para a torcida organizada?
RAÍ: Sem ser arrogante e sendo são-paulino (risos). No São Paulo isso não dura muito. Isso poderia criar uma crise sem fim e se repetir, mas acho que não vai acontecer. Já vivi crises parecidas, mas elas não se alongam muito. Ano que vem vamos ter a impressão de que não aconteceu. O que faz o São Paulo diferente não é que essas coisas não ocorram, mas sim que em um tempo maior elas se diluam porque as decisões tendem a ser rápidas, acertadas e de uma forma discreta.

BENJA: Não me lembro de o São Paulo jogar tão mal, tão covarde como contra o Internacional, no Beira-Rio, e contra o Corinthians...
RAÍ: São duas situações diferentes. Contra o Corinthians, Ricardo Oliveira até perdeu um gol cara a cara, mas com dez minutos de jogo via que se o Corinthians fizesse um gol, o São Paulo poderia ter tomado uma goleada. Mas você tem um treinador jovem, pegando o time, vários jogadores que estavam sendo questinados. Era esperado, não me surpreendeu. Claro que como são-paulino a gente fica com raiva, mas era esperado. Agora vamos ver se o São Paulo vai ser o São Paulo daqui para frente e que esse momento não dure para sempre.

BENJA: Você gostaria de ver Luxemburgo como técnico do São Paulo?
RAÍ: Luxemburgo é como todo jogador que passa por uma fase ruim, mas não esquece de jogar bola. Eu acho que ele perdeu um pouco o foco, mas entende muito de futebol. Está precisando de um desafio e poderia ser o São Paulo. Não acharia ruim, mas sei que ele tem resistência, não apenas no São Paulo, mas em qualquer clube.

BENJA: Paulo Autuori, Cuca, Vanderlei Luxemburgo, Sven Goran Eriksson e Antônio Lopes. Desses cinco nomes, se você pudesse escolher um, qual que você escolheria?
RAÍ: Há cinco anos, o Paris Saint Germain foi vendido. Entre os dois grupos que queriam comprá-lo, o que não ganhou queria que eu fosse o diretor geral desportivo do clube e tinha topado. Os dois nomes que tinha pensado para técnico eram Luxemburgo e Autuori. Sondei os dois. São dois treinadores que eu confio e que eu gostaria.

BENJA: Hoje o São Paulo corre risco de ser rebaixado para a Série B?
RAÍ: Claro, é obvio, é matemático. E pelo que o São Paulo está jogando corre risco. Mas pelo elenco que tem e se tomar as decisões corretas, não digo só de treinador, sai com os pés nas costas e vai lá para cima.

BENJA: Você é muito amigo de Leonardo. Ele pode assumir o time?
RAÍ: É impossível. O São Paulo hoje está buscando um treinador, não um dirigente. Leo pode até vir a ser, gostou da experiência, mas não é uma coisa que ele quer. Acho que ele pode vir a ser fácil um dos melhores treinadores do Brasil, mas o negócio dele é ser dirigente.

BENJA: E se Juvenal Juvêncio convidasse você para ser treinador do São Paulo. Assumiria ou de jeito nenhum?
RAÍ: Seria um baque, me faria pensar.

BENJA: Faria você pensar?
RAÍ: Óbvio, qualquer proposta do clube do coração me faria pensar. Acho que pelo meu momento tudo leva a crer que não, estou envolvido em outros projetos. Mas se tivesse passado pela cabeça dele já teria me falado, mas acredito que não.

BENJA: Achei que você diria que não, mas você disse que pensaria...
RAÍ: Eu falei que iria mexer comigo porque é o time do coração. Mas não é uma coisa que quero, mas também não digo que não vá querer mais para frente. Acho que dentro de alguns anos vou ter algum ou outro flerte com o futebol, pode ser treinador, mas por enquanto isso não passa pela minha cabeça.

BENJA: Você não acha que pode se queimar? Um grande ídolo dirigindo o time. Como Zico, Roberto Dinamite, Renato Gaúcho...
RAÍ: Com certeza é algo que pode queimar. No caso de Zico é mais difícil, mas dá uma questionada. O cara não vai ser mais o intocável dos intocáveis. Dinamite também é superrespeitado pela torcida do Vasco. Mas quando falo isso, sinto que treinador tem a sua autonomia, porque a estrutura do futebol e dos clubes faz ser mais difícil trabalhar como dirigente. As partes políticas e associativas, são muito mais difíceis para um ex-ídolo.

BENJA: E a categoria de base do São Paulo? Por quê não revela mais nenhum grande jogador?
RAÍ: Acho que vai aparecer ainda. Esse garoto Oscar, para mim, vai ser um craque. Teve problemas e tudo, mas tem de aparecer de novo, né?

BENJA: Para terminar, deixe seu recado para a torcida do São Paulo.
RAÍ: Fiquem tranquilos, não vamos cair, não. O pessoal vai saber o que fazer, se não souberem vou dar um grito lá (risos), mas vão saber... Time tem, qualidade tem, e não vai cair. É acertar bem para o ano que vem conseguir grandes vitórias.

BENJA: Vanderlei Luxemburgo ou Paulo Autuori?
RAÍ: Gosto dos dois. Então ficaria feliz com qualquer um dos dois.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Marco Auréilio expõe racha na direção

Reprodução: UOL

Dirigente sugere arrogância e diz que São Paulo criou a sua própria crise

O superintendente do São Paulo Marco Aurélio Cunha não se furtou de avaliar os motivos que causaram a crise do time tricolor. Na sua avaliação, a própria equipe que criou a crise ao querer reformular a comissão técnica após a eliminação para o Inter na Libertadores.

“Nós criamos uma crise. Fomos eliminados pelo campeão da América por causa de um gol sofrido em casa. Foi por causa de uma insatisfação, talvez por empáfia, arrogância”, declarou para a Rádio Bandeirantes.

Ao UOL Esporte, Marco Aurélio reiterou que achava que o São Paulo deveria ter dado continuidade ao trabalho do técnico Ricardo Gomes mesmo após a eliminação na competição continental.

“Nós ficamos a um gol de estarmos no Mundial de clubes. Tínhamos resultados bons, mas um futebol discutível. Se houve a destituição da comissão técnica, deveria ser para um projeto melhor. Sempre fomos cautelosos, e agora mudamos isso”.

O dirigente do São Paulo voltou a demonstrar a sua insatisfação por não ter participação nas decisões de futebol na equipe, concentradas em sua totalidade no presidente, no vice e no diretor de futebol (Juvenal Juvêncio, Carlos Augusto de Barros e Silva e João Paulo de Jesus Lopes, respectivamente).

“Essa impossibilidade de opinar nas questões ligadas ao futebol me incomodam. Quando eu não tiver mais satisfação pessoal e sentir que não precisam mais de mim aqui, sairei”, declarou Marco Aurélio.

Mas ele rechaçou que irá deixar o São Paulo neste momento de crise. “Tem várias pessoas que precisam de mim aqui, jogadores, comissão técnica, funcionários. Não sou covarde de abandonar o clube neste momento”.

Juvêncio enfrenta intriga interna no São Paulo

Reprodução: De prima, do LANCE!NET

A crise técnica e financeira pela qual passa o São Paulo está fazendo brotar as feridas internas da administração. Não são os poucos conselheiros de oposição - que ainda continuam calados – mas alguns diretores que começam a reclamar do presidente do clube, Juvenal Juvêncio.

Dizem que ele se intromete em tudo e por impulso anula decisões tomadas depois de muito estudo. Afirmam que o São Paulo não é o reduto de racionalidade que apregoa.

No fracasso e no sucesso, nada é por acaso

Reprodução: Folha de São Paulo

Inter terá até 57 mil eleitores
Clube permite que sócios votem por correio nas eleições de dezembro

Martín Fernandez
De São Paulo

O Internacional se tornou ontem o 341º maior colégio eleitoral do Brasil e o 27º maior do Rio Grande do Sul.

A diretoria do atual campeão da Taça Libertadores anunciou que vai permitir o voto por correspondência na eleição para presidente do clube, no dia 4 de dezembro.

Assim, mesmo quem vive no exterior ou em outros estádios poderá escolher quem vai mandar no clube gaúcho pelos próximos dois anos.

Com essa medida, serão 57.453 eleitores aptos a votar. O Inter tem, assim, colégio eleitoral maior que mais de 5.000 municípios brasileiros.

Se fosse uma cidade, o Inter só teria menos eleitores do que 26 cidades gaúchas -incluindo aí Ijuí e Venâncio Aires, cidades dos treinadores Dunga e Mano Menezes, respectivamente.

Hoje o clube tem 106 mil sócios, recorde absoluto no Brasil. Mas só pode participar quem está em dia com as mensalidades (a inadimplência é de cerca de 10%) e quem está inscrito há pelo menos dois anos -o que restringe o número a 57.453.

Se todos esses sócios votarem, o Internacional vai ultrapassar o Barcelona como a maior democracia entre os clubes de futebol do mundo.

No mês de junho, 56.247 sócios do clube catalão escolheram Sandro Rossel como novo presidente, em substituição a Joan Laporta.

Na última eleição no Corinthians, 2.415 sócios votaram; 2.342 escolheram a presidente do Flamengo.

Desde 2006, quando conquistou a Taça Libertadores pela primeira vez, o Inter investe pesado para atrair sócios para o futebol. Uma das vantagens oferecidas é o direito a voto, antes restrito a sócios patrimoniais.

No entanto, como a participação no pleito não é obrigatória, a estimativa da direção colorada é que entre 20 mil e 25 mil sócios votem.

No ano passado, o clube gaúcho faturou R$ 37,4 milhões graças à contribuição de seus associados -praticamente o mesmo que arrecadou com venda de direitos de transmissão para a TV.

É quase impossível que o grupo da situação, que manda no Inter desde 2002, perca a eleição de 4 de dezembro.

Por enquanto, há três pré- -candidatos da mesma base: Pedro Affatato, Giovanni Luigi e Mario Sergio Martins, todos ligados a Vitório Píffero (atual presidente) e Fernando Carvalho (vice de futebol).

Nota do blog:
Seria ótimo se as vaidades fossem colocadas de lado e os bons exemplos seguidos.

A recíproca é verdadeira

Após a partida de ontem, Dagoberto se queixou do tratamento que vem recebendo no São Paulo

“O mínimo que mereço é respeito” – declarou o atacante.

Pois é justamente esse sentimento que Dagoberto não demonstra ter pelo SPFC e seus companheiros de trabalho, ao tumultuar ainda mais o ambiente com suas críticas pela imprensa.

Quanto a comparação ao tratamento dado ao Ronaldinho Gaúcho pelos torcedores do Barcelona, ora Dagoberto, ponha-se no seu lugar.

ONU critica comportamento de JJ

Conta "de mais"

Reprodução: Painel FC, da Folha

Estimativa
Cálculos feitos no Morumbi dão conta de que o time volta à luta pelo título nacional se engrenar cinco vitórias seguidas. Argumentam que a competição está muito equilibrada.

Nota do blog:
Não seria melhor se preocuparem com a conta "de menos"?

Estimulando o apetite

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Luxemburgo não vem

O Atlético-MG anunciou esta tarde a contratação do fisioterapeuta Nilton Petroni, o Filé, parceiro de longa data de Luxa, o que significa que ele segue firme no comando técnico do Galo.

Com isso as opções no mercado que agradam a diretoria vão diminuindo.

A quarta via

Quando se especula sobre qual poderá vir a ser o próximo técnico do São Paulo, os nomes que tem sido mais citados são: Paulo Autuori, Vanderlei Luxemburgo e Antonio Lopes.

Outros que no início também apareciam como opções, casos de Dunga, Abel Braga, Silas e Leonardo, acabaram perdendo força, e aparentemente, somente os três permanecem na briga.

Todos os preferidos estão sob contrato e o que teria a liberação mais fácil é Antonio Lopes, e a mais complicada, Luxemburgo (a menos que seja demitido).

A diretoria já declarou que busca um nome de impacto, que seja disciplinador e que tenha o “perfil do São Paulo”.

Sob essa ótica eu diria que:
  • Autuori: Geraria impacto, seu perfil se encaixa perfeitamente, mas trabalha mais na base da conversa, do papo
  • Antonio Lopes: É disciplinador, mas de identifica muito com o futebol carioca e o impacto poderia ser negativo
  • Luxemburgo: Tremendamente impactante, razoavelmente disciplinador, mas o perfil...
Sendo assim, não me surpreenderia se a diretoria optasse por uma “quarta via”. Alguém que seja experiente, conceituado, de perfil refinado e que ainda por cima, esteja disponível.

Ele mesmo: Carlos Alberto Parreira

Vejam bem, não estou defendendo a contratação do Parreira, mas se o Rogério Ceni aprovar...

JJ pode ter adversário a altura nas eleições de abril

Kalef João Francisco, diretor de futebol do SPFC no período de 1990-1994, e um dos maiores críticos da gestão de JJ, jantou ontem com Mesquita Pimenta, Fernando De Rey e Márcio Aranha, e hoje publicou a seguinte mensagem em seu Twitter:

“Pra quem gosta mesmo do São Paulo ontem senti pela primeira vez a possibilidade do Fernando de Rey sair candidato a presidência.”

Ainda segundo Kalef, além da baixa rejeição, De Rey tem também bom trânsito na situação.

Espero que se confirme, pois nas últimas eleições o Aurélio Miguel sofreu um "ippon" do JJ.

Acho que só o fato de De Rey sair candidato, já é o suficiente para causar uma nova distribuição de forças no conselho.

Paulsta 2011 terá novidades

Reprodução: Direto da fonte, do Estadão

Olho no lance
A Federação Paulista de Futebol já recebeu OK da Fifa. O Campeonato Paulista 2011 terá árbitros atrás dos gols.

*************************************************************************************

Reprodução: Coluna da Mônica Bergamo, da Folha

A nova cara do Paulistão
Mudanças à vista no Paulistão de 2011: a FPF (Federação Paulista de Futebol), que organiza o campeonato, decidiu que oito times, e não mais apenas quatro, serão classificados para a segunda fase da competição. Eles disputarão lugar nas semifinais em jogo único, num mata-mata. As vagas na final também passarão a ser decididas em uma só partida. Decisão em dois jogos, como acontece hoje, só na finalíssima.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

SPFC negocia cobertura do Morumbi

Reprodução: Blog do Birner

São Paulo pretende cobrir o Morumbi com ou sem jogos do Mundial

Dirigentes do São Paulo, entre eles Juvenal Juvêncio, se reuniram na tarde de ontem (segunda-feira) com representantes de um consórcio formado pela Pfizer, Bemo, Manesmmann e Usiminas.

No encontro, os detalhes técnicos e o orçamento para a construção da cobertura do Morumbi foram apresentados.

Os cartolas do São Paulo gostaram do projeto.

Acreditam no sucesso da empreitada mesmo se o estádio não for escolhido para sediar jogos do Mundial.

Pretendem fazer a cobertura sem mexer na conta do clube.

Acreditam que a venda de publicidade e o batismo do espaço de shows para 25 mil pessoas, dentro do estádio, com o nome de uma grande empresa, pagarão a obra.

As conversas continuarão na próxima semana.

Teixeira e Kassab devem se encontrar essa semana

Reprodução: Primeira mão

Reuniões sem fim
O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, vai se reunir novamente com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, para discutir a participação da cidade na Copa do Mundo de 2014. O encontro deve acontecer ainda nesta semana.

"Cada vez mais isso está se afunilando e ficando pressionado pelo tempo" – disse o dirigente nesta terça-feira durante um evento no Rio de Janeiro.

Ricardo Teixeira lembrou também um discurso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao comentar a situação de São Paulo, única das 12 sedes da Copa do Mundo de 2014 que ainda não tem uma definição sobre o estádio. O projeto do Morumbi foi rejeitado pela Fifa em junho.

"É um absurdo que São Paulo não tenha oferecido até agora um estádio. O Comitê Organizador da Copa e a Fifa têm o maior interesse que São Paulo participe da Copa" – completou.

Confira a situação dos favoritos a assumir o São Paulo

Antonio Lopes

Situtação

Chegou ao Avaí no dia 6 de julho de 2010. Tem compromisso até o final de dezembro.

Pontos
Positivos

Aos 69 anos, tem vasta experiência no futebol brasileiro. Contabiliza passagens vencedoras por Vasco da Gama e Corinthians.

Além de participar da comissão técnica da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002, realizou trabalhos interessantes no futebol internacional. Treinou as seleções do Kuwait (1985) e da Costa do Marfim (1989), além do Belenenses (POR), Al-Hilal (Arábia Saudita), Al Wasl (Iraque) e Cerro Porteño (PAR).

Atualmente, faz um bom trabalho no Avaí. Com uma equipe repleta de jovens jogadores, está no G4 do Campeonato Brasileiro.

Pontos
Negativos

Apesar da boa fase no Avaí, o último grande trabalho de Antônio Lopes foi no Corinthians, em 2005. Na ocasião, o treinador comandou o time na conquista do título brasileiro.

Realizou um bom trabalho no Timão, mas ficou conhecido mesmo pelas passagens pelos clubes do Rio de Janeiro.

Talvez, o fato de estar afastado de um grande clube pode atrapalhar seu trabalho no São Paulo.

Paulo Autuori

Situtação

Autuori tem contrato com o Al Rayyan até junho de 2012.

Pontos
Positivos

Velho conhecido da torcida, Autuori comandou o São Paulo nas conquistas da Copa Libertadores e Mundial de Clubes, em 2005.

Tem boa relação com a diretoria do clube, conhece os membros da comissão técnica e alguns atletas. Isso pode facilitar sua vida.

Atualmente no Al-Rayyan dos Emirados Árabes, onde já havia passado entre 2007 e 2009, Paulo Autuori tem importantes títulos em sua carreira: Campeonato Brasileiro de 1995, pelo Botafogo, Campeonato Mineiro e Libertadores pelo Cruzeiro, em 1997.

Pontos
Negativos

Diferente de 2005, quando pegou um time bem montado por Cuca e Leão, agora terá pouco tempo para colocar o São Paulo na ponta da tabela.

Em 2009, após ser muito criticado pela torcida, foi demitido do Grêmio, último clube que comandou no Brasil.

Vanderlei Luxemburgo

Situtação

Assumiu o Atlético-MG no fim de 2009 e assinou contrato válido por 2 anos. O projeto é levar o Galo à Libertadores 2011.

Pontos
Positivos

Apesar da má fase no Atlético-MG, na zona de rebaixamento do Brasileirão, tem um vasto currículo de títulos.

Contabliza uma importante passagem pelo Real Madrid (ESP).

Realizou grandes trabalhos nos clubes de São Paulo: Corinthians, Palmeiras e Santos. Talvez, isso possa servir de inspiração para a sua passagem pelo São Paulo.

Pontos
Negativos

O nome de Luxremburgo nunca foi bem visto pela diretoria do São Paulo.

Não tem costume de aproveitar os jogadores da base. Atualmente, esse é o maior desejo da diretoria são-paulina.

Apesar do bom elenco do Atlético-MG, está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Fonte: LANCE!NET

Lula pretende discutir exigências para Copa com a Fifa

Reprodução: De Prima, do LANCE!NET

O presidente Lula vai entrar na discussão com a Fifa sobre as exigências para a Copa-14 – entre elas a que veta o Morumbi. "Eu acho umas (exigências) corretas, outras não. Vamos ter que sentar e chegar a um consenso", comentou. Lula não explicou se fará isso ainda em seu governo.

Quero esse SPFC de volta!

Batendo à porta

Know-how

Reprodução: Painel FC, da Folha de São Paulo

Gente próxima ao são-paulino Juvenal Juvêncio diz que se menciona Tite, que salvou o Corinthians do rebaixamento, para assumir o São Paulo.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

É o fim do SPFC

Segundo o LANCE!NET, após manifestação de uma torcida organizada agora a tarde, em frente do CCT da Barra Funda, a diretoria autorizou a entrada de 35 integrantes e os colocou na arquibancada.

A diretoria aceitou ainda, se reunir com alguns torcedores. Alex Silva, Cleber Santana,  Junior Cesar e Jean também participam da “reunião”.

Sou totalmente contra esse tipo de coisa. Lugar de torcedor é na arquibancada e é lá que os protestos devem ocorrer. Não tem que receber torcida "A", "B" ou "C"!

Estão matando o São Paulo Futebol Clube.

Baresi não é mais técnico do São Paulo

Reprodução: espn.com.br

Sérgio Baresi não comanda mais o São Paulo, e novo técnico pode ser anunciado nesta segunda

A diretoria do São Paulo agiu em cima da vergonhosa derrota para o Corinthians por 3 a 0 no domingo e decidiu não manter mais o técnico interino Sérgio Baresi no comando da equipe profisional. É possível, ainda, que o clube anuncie seu novo comandante em algumas horas.

Baresi será infomado da decisão em instantes. Campeão da Copa São Paulo de Juniores no começo do ano, ele deve voltar a treinar o time sub-20 do clube depois de dois jogos no Campeonato Brasileiro, com um empate (contra o Cruzeiro) e o revés no clássico.

Atualizado às 19h40
O vice-presidente de futebol, Carlos Augusto de Barros e Silva, disse que a princípio Sérgio Baresi comandará a equipe na partida de quarta, contra o Vasco.

Novo bandeirão do R. Ceni

(*) Frase que esta circulando no Twitter

Normal

Uma segunda pós-clássico normal. Perdemos de novo.

E não há a mínima perspectiva de que algo irá melhorar.

Pelo jeito ainda teremos muitas “segundas” pela frente.

sábado, 21 de agosto de 2010

Entrevista: Maurren Maggi

Reprodução: Site Oficial do SPFC

A campeã olímpica fala com exclusividade ao site do Tricolor sobre os dois anos da conquista, dá seu palpite para o clássico e conta da preparação em busca de mais medalhas

A vida de uma atleta de alto rendimento nem sempre se resume às pistas, viagens e competições mundo afora. Maurren Maggi é a prova de que é preciso vencer dentro e fora do esporte.

Mãe, atleta, torcedora. Maurren é um pouco de tudo.

Comemorando dois anos da conquista da medalha de ouro no salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, a atleta do Tricolor deu entrevista exclusiva ao site oficial do São Paulo FC, relembrando momentos marcantes de sua trajetória e contando como é ganhar a vida saltando os obstáculos do cotidiano.

Olha o jornaleiroooo!

É lamentável que algumas editorias ainda avalizem a publicação de matérias tendenciosas e superficiais, como a "Goleada fora dos campos no Majestoso" publicada hoje no LANCE!NET.

O “repórter” Rodrigo Vessoni, expõe uma série de números sem a mínima análise. Não diferencia o ano festivo de uma entidade, de um ano comum para a outra.

Omite que grande parte do que entra no caixa de uma, esta comprometida e não irá se sustentar após o ano de comemorações. Que o resultado líquido destes aportes, é pequeno.

Compara valores brutos nas arrecadações de bilheteria, ou seja, não leva em consideração o pagamento de aluguel.

Desconsidera ainda a taxa de inadimplência nos programas de Sócios Torcedores das duas entidades.

Enfim, é uma pena que um dos maiores diários esportivos do país exponha em suas páginas uma “matéria” desta qualidade, onde o torcedor se sobrepõe ao "jormalista".

Empurrando com a barriga

Reprodução: Direto da fonte, do Estadão

Bola no pé
Executivos do Comitê Paulista para Copa do Mundo conversaram com Andrés Sanchez esta semana, segundo conta Alberto Goldman. Descobriram que o Corinthians equacionou a construção de um estádio para 45 mil lugares. Mas que o time não tem recursos para ampliar o projeto para 60 mil espectadores, como exige a Fifa para a abertura do mundial em 2014.

Ao ouvir que Estado e Prefeitura não colocarão dinheiro público neste tipo de empreendimento, Sanchez lembrou que a Fifa investiu US$ 1,5 bilhão nos estádios da África do Sul.

Seja lá o que isso quer dizer.

Goldman afirma não ter recebido qualquer pressão de Ricardo Teixeira, da CBF, para que resolva o impasse sobre a abertura dos jogos em São Paulo antes das eleições de outubro. “Seria até melhor que o próximo governador tomasse esta decisão”, sugere, reafirmando que o Morumbi continua sendo sua aposta mais factível e concreta.

E o Piritubão? Goldman conta que o projeto para a área, a ser licitado, é um grande complexo idealizado para 2020. E que ele inclui um estádio. “Estudos têm apontado que a construção isolada do estádio, antes do todo, não seria viável economicamente.”

A Odebrecht já tem pronto o desenho da obra completa.

Nota do blog:
Este jogo esta com as cartas marcadas há tempos.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Brilhante!

União eterna? Não, só ficando...

Globo perde com final de Libertadores

Após hesitar em transmitir o jogo entre Inter e Chivas, a emissora conseguiu apenas 15 pontos de média com o duelo. O primeiro jogo da final, em Guadalajara, não foi transmitido para São Paulo.

Voto consciente

Reprodução: Painel FC

A oposição são-paulina já começa a se mobilizar para as eleições de abril de 2011.

Argumentam que o presidente Juvenal Juvêncio não deveria ter brigado com FPF, CBF e Fifa.

Apesar de parte da oposição apoiar Juvenal na questão do Morumbi, creem que ele exagerou ao destruir muitas pontes. E que a obsessão com a Copa faz com que esqueça o futebol.

A oposição critica questões administrativas. Afirma que, antes da venda de Hernanes, o crédito rotativo do clube, cujo limite aponta ser de R$ 80 milhões, preocupava.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Juvenal consultou diretores sobre novo técnico

Reprodução: De prima

Juvenal fez votação por técnico. Veja os nomes da lista!

Antes de escolher o substituto de Ricardo Gomes, o presidente do Sâo Paulo, Juvenal Juvêncio, reuniu dez diretores e pediu a opinião deles. Resultado: três se inclinaram para Luxemburgo, dois para Dunga, um ficou dividido entre os dois e houve um voto cada para Autuori, Celso Roth, Leonardo e Sergio Baresi. Que foi o escolhido.

Nota do blog:
Para quê pediu opinião então?

Enquete: Você gostaria de Eriksson como técnico do SPFC?

Segundo o LANCE!, o sueco Sven-Goran Eriksson teria sido oferecido à diretoria do São Paulo. O salário pedido por seu agente seria de R$ 260 mil/mês.

Eriksson fala português fluentemente e já dirigiu o Benfica, Lazio e Roma, além das seleções do México, Inglaterra e mais recentemente, a Costa do Marfim.

Entre seus títulos, estão um campeonato italiano e três portugueses, uma Copa de Portugal e quatro da Itália.

Sergio Baresi poderia aprender muito com o sueco, porém a diferença de métodos de treinamento e preparação, podem gerar problemas.

O quê você acha? Eriksson seria om bom técnico para assumir o são Paulo?

Deixe sua opinião na enquete ao lado.

Resultado

Não …………………………………………………………………………
43%
Sim …………………………………………………………………………
57%

Fonte: LANCE!NET

Camisa Tricolor terá novo anúncio

O São Paulo fechou na tarde de ontem um novo acordo com a Tenys Pé e irá receber R$ 1,2 milhões para estampar o anúncio nas próximas seis partidas do Campeonato Brasileiro.

Em abril passado, estima-se que a Hypermarcas pagou R$ 4 milhões para estampar as marcas Bozzano (mangas) e Zero-Cal (peito/costas) por cinco jogos (R$ 800 mil/partida). Em maio, ao final do acordo, a diretoria disse que o clube não tinhas mais interesse em novos acordos de curta duração.

Porém, no mesmo mês de maio, foi fechado um novo “patrocínio de ocasião” com a Bombril (mangas) e a Biosintética (peito/costas): R$ 6 milhões por oito jogos (R$ 750 mil/partida).

Em agosto vestimos de vez o abadá do "Bloco do Juju": Wizard (peito), Tenys-Pé (costas) e Sil (barra da camisa) e Bombril (mangas), aproveitaram que a “placa” estava vaga e pagaram R$ 1 milhão pela exposição na primeira partida das semi-finais da Libertadores.

Neste novo acordo a Tenys-Pé pagará cerca de R$ 200 mil/partida pela exposição (provavelmente no peito pois as mangas são da Bombril).

Embora haja várias variáveis (importância da competição, fase em disputa, quantidade de anunciantes, local de exposição na camisa, estimativa de valores, etc), acho que esses números já são suficientes para avaliar se a estratégia da diretoria foi a correta.

Hoje, o que resta ao SPFC é conviver com essa situação até o final deste ano, e trabalhar para conseguir um patrocínio master para 2011 que não transforme nosso manto em abadá de bloco carnavalesco.

Até lá o interesse e o valor de nossa camisa irá variar de acordo com nosso desempenho, ora pulando para cima, ora para baixo.

Que nem pipoca....

“Pueira... Pueiraaa....”