sábado, 29 de janeiro de 2011

Após criticar, equipe adere a "loteamento'

Reprodução: Folha.com

O uniforme utilizado por Rivaldo na apresentação ao São Paulo mostrou que o clube aderiu ao "loteamento" da camisa que antes era criticado por seus próprios dirigentes.
Além do BMG, patrocinador principal, e da Reebok, fornecedora de material esportivo, duas empresas exibiram suas marcas no modelo usado por ele. A operadora de telefonia TIM comprou presença nos números das camisas de jogo. Por R$ 3 milhões anuais, será parceira do São Paulo até 2013.
Já a empresa de cartões de crédito Visa expôs a marca na barriga, na barra das costas e nas mangas da camisa da apresentação. Pela ação, válida também para o jogo de estreia de Rivaldo, desembolsou cerca de R$ 500 mil.
"As mangas são o único espaço que está à venda.
Mas se surgir uma oportunidade boa de comercializar as barras e a barriga, vamos fechar", disse o gerente de marketing do São Paulo, Adalberto Baptista.
No ano passado, a exposição de várias marcas no mesmo uniforme foi severamente criticada pelo vice de marketing são-paulino, Julio Casares, que comparou a camisa do Corinthians a um "macacão de F-1". Agora, o dirigente mudou o discurso.
"É a realidade do futebol brasileiro. Camisa poluída não é bonita, mas precisamos fazer alguns esforços para arrecadar dinheiro", afirmou Casares.
O vice-presidente de marketing disse também que o clube estuda outros "patrocínios de ocasião", como o da Visa, apesar de não gostar do recurso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário