quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

11 esclarecimentos sobre a implosão do Clube dos 13

Reprodução: Blog do Juca Kfouri

Diante das confusões, incompreensões e do analfabetismo funcional, esclareçamos:

1. Sempre que a Record concorre a qualquer coisa concorre de maneira desleal, porque seu dinheiro vem do dízimo (*);
2. A Globo é a melhor parceira para qualquer negócio no país;
3. Nem por isso uma licitação tão bem feita, e tão transparentemente que (contou) com a presença de dois clubes, Santos e Botafogo, que não votaram no presidente do Clube dos 13, deveria ser desperdiçada como está sendo;
4. Era a chance de o futebol brasileiro encontrar cifras como nunca;
5. O Corinthians sai do Clube dos 13 não por se preocupar com “lisura”, como diz, porque também não é chegado à lisura e nem por causa da origem do dinheiro da Record, porque não se importou com a origem do dinheiro do MSI;
6. A Record bateu em Andrés Sanches, que dá um milhão de motivos para apanhar, mas não por razões jornalísticas e sim por ele ser a favor da Globo, como Ronaldo Fenômeno, sócio do Corinthians;
7. Os quatro grandes do Rio não podem agora dizer que discordam de como foi montada a licitação porque dela participaram com o Botafogo e o Flamengo até  chegou a elogiá-la;
8. O Flamengo usa a bobagem da traição feita pelo São Paulo para fazer demagogia com a história da taça de bolinhas, que não tem nada a ver com a ruptura, motivada simplesmente por dinheiro;
9. A Globo, por sua vez, cala sobre tudo isso e nem sequer fala da implosão do Clube dos 13;
10. Estamos longe, em resumo, de um regime verdadeiramente capitalista de livre, e limpa, concorrência, além de muito distantes de ver o jornalismo separado dos negócios de cada um;
11. Se é que o capitalismo permite isso em algum lugar do mundo, embora pareça que sim.

Isto posto, é bom que se diga: o Clube dos 13 falhou miseravelmente estes anos todos ao não se transformar em Liga, que foi a ideia que a originou, cinco anos antes até da Liga na Inglaterra.
A Liga Brasileira deve nascer agora, mas com o aval e controle da CBF. Ou seja…

Nota do blog
(*) As doações feitas pelos adeptos da IURD (ou de qualquer outra religião) são isentos de tributação de impostos. O problema é que a IURD compra horários na grade de programação da Record por valores muito superiores ao de mercado, transferindo desta forma recursos da igreja para a emissora de TV.

Comentário do blog
Juca foi, mais uma vez, preciso em sua análise, e de quebra, tocou num tema que muito me incomoda: a isenção das informações jornalistas (item 9 e 10). Isso é jornalismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário