terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Juvenal evoca passado por novo mandato

Reprodução: Folha.com

O presidente Juvenal Juvêncio, pré-candidato a mais um mandato no São Paulo, já se preocupa em justificar o continuísmo. No cargo desde 2006, ele usou a entrega da Taça das Bolinhas para fazer campanha.
Durante o evento, o mandatário esteve acompanhado pelo ex-governador do Estado de São Paulo Laudo Natel, 90, que presidiu o clube entre 1958 e 1972.
"Este aqui ficou lá por 14 anos. Pergunta se não foi bom para o Morumbi?", afirmou, sobre o parceiro, que teve papel decisivo na construção do estádio.
O estatuto do São Paulo impede uma segunda reeleição. Mas Juvenal quer que o ciclo 2006/07 seja desconsiderado para poder competir em abril ao terceiro mandato consecutivo.
O conselho do clube se reúne hoje para legitimar a manobra. A justificativa de Carlos Miguel Aidar, conselheiro responsável pela medida, é que a emenda aprovada há três anos, que alterou a duração do mandato de dois para três anos, criou uma nova ordem jurídica.
Grupos contrários à reeleição esbravejam contra a manobra em favor de Juvenal, que ironizou os rivais. "A oposição nem existe."
O presidente desafiou os adversários a lançarem um rival capaz de enfrentá-lo. "Vamos ver se aparece alguém. E, depois, vamos ver quantos votos ele fez."

Nenhum comentário:

Postar um comentário