domingo, 20 de fevereiro de 2011

Por partes

Reprodução: Painel FC, Folha.com

Na negociação de renovação do contrato do meia Lucas com o São Paulo, Wagner Ribeiro ficou com 30% dos direitos relativos ao atleta. A primeira pedida do empresário era para ficar com 40% da fatia.

Comentário do blog
A verdade é que dificilmente ficaremos sabendo quanto dos direitos foi de fato dado ao empresário e ao atleta. Talvez saibamos quanto ele foi vendido.

3 comentários:

Anônimo disse...

guedex, li em algum lugar que eles ficaram com 20% e, se o jogador não for negociado em 2011, o percentual passa para 30%.

Régis/SP disse...

Guedex, uma situação curiosa: você já viu que ninguém mais lembra do Marco Aurélio Cunha?
Por que estou fazendo esse comentário aqui neste post sobre o Lucas?
Simples, o Marco Aurélio Cunha que saiu do SP porque era contra a reeleição do JJ, era declaradamente contra também ao chamado uso "precipitado" de jogadores da base.
Entre os jogadores da base que acredito terem sido usados precipitadamente estão Lucas, Casemiro, Henrique, entre outros que estão ai para estourar.
Acho que ele era a favor das indicações de contratações do Milton Cruz, como as 11 que vieram no ano passado?
É ou não é estranho.
Estou começando a desconfiar que Marco Aurélio Cunha não deu só prejuízo com o salário que ele ganhava no São Paulo (que diziam ser de R$ 50.000,00), acho que conta foi BEM MAIS ALTA!!!
Como você mesmo comentou, a cada dia que passa, eu que era um crítico de carteirinha, fico cada vez mais a favor da reeleição do JJ, só de ver quem é contra ele.

Anônimo disse...

A legislação é cruel, se algo não fosse feito o Lucas poderia ir até pra outro clube brasileiro e por dinheiro de pinga, sei lá, seja 80% ou 70% é claro que não dá pra fazer muita coisa, como vc disse Guedex, só vamos saber a porcentagem quando o Lucas for vendido.

Postar um comentário