sexta-feira, 18 de março de 2011

Fielzão: Falta só resolver a questão do terreno, dos dutos...


Secretarias avalizam construção de estádio corintiano em Itaquera
Reprodução: ESPN.com.br

Um dos pontos que travavam o início da construção do estádio do Corinthians em Itaquera foi superado nesta quinta-feira. Após análise técnica, diversas áreas da prefeitura de São Paulo ligadas ao projeto avalizaram o começo das obras, ainda que com algumas imposições a serem contornadas.
"O estádio foi aprovado hoje (quinta-feira)", disse o vice-presidente de marketing do Corinthians, Luís Paulo Rosenberg, que ministrou palestra para um grupo de jovens empresários na capital paulista. "A Secretaria Municipal de Habitação devolveu o projeto impondo pequenas modificações".
Dentro de um prazo de 15 dias, o Corinthians deverá apresentar à Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente um relatório que comprove a adequação de alguns itens específicos do projeto, dentre eles as condições ambientais do local e o processo de remoção de entulhos.
Feito isso, o clube terá que resolver também um entrave quanto à cessão do terreno. O Ministério Público cobra a devolução da área de 197.095m², concedida pela prefeitura em 1988 com a condição de que fosse construído um estádio dentro de cinco anos, o que não ocorreu.
Outra pendência, esta minimizada pela diretoria, é a presença de dois dutos da Petrobras que atravessam o terreno. A Transpetro, empresa subsidiária responsável pelas tubulações ali instaladas, tem estudado algumas alternativas, como um desvio para uma área adjacente.
O mais recente prazo diz que as obras do estádio com capacidade para 65 mil espectadores começam em meados de abril. Orçada em cerca de R$ 600 milhões, a construção será bancada com financiamento de R$ 400 mi do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), além de incentivos fiscais e da negociação dos direitos de nome do estádio.

Comentário do blog
Ou seja, mesmo que consigam se acertar com o ministério público quanto ao terreno de Itaquera, ainda precisam resolver a questão dos dutos da Transpetro que passam sob o terreno e cujo custo de remoção com certeza será na casa de centenas de milhões de R$.
Como se vê, falta coisa para conseguir a autorização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário