sexta-feira, 15 de abril de 2011

Candidaturas para presidência do São Paulo já estão prontas

Reprodução: LANCENET

Juvenal Juvêncio concorrerá pela situação e Edson Lapolla, pela oposição

Os candidatos à presidência do São Paulo têm até esta sexta-feira, para formalizar suas campanhas. Juvenal Juvêncio (situação) e Edson Lapolla (oposição) irão disputar as eleições, na próxima quarta-feira, às 19h, para saber quem ficará a frente do clube nos próximos três anos.
A plataforma de Juvenal Juvêncio já está pronta. Mesmo com a candidatura liberada apenas por uma liminar, a situação não teme que a decisão seja revertida até o momento das eleições. A oposição ainda tenta anular o direito de Juvenal ser candidato na Justiça.
Já a plataforma com as propostas de Edson Lapolla será publicada na edição desta sexta-feira de um jornal de bairro, na região do Morumbi.
Juvenal tem apoio da ampla maioria do conselho e a vitória é dada como certa, até pela oposição. Só conselheiros participam e o voto é aberto.

Comentário do blog
Sou a favor da alternância de poder e por isso não gostaria que JJ ocupasse novamente a presidência do clube. O Tricolor precisa de novos ares, novas idéias, “sangue novo”.
Juvenal teve pontos positivos (reforma do Morumbi, construção do CFA de Coria, tri-campeonato brasileiro), mas também cometeu erros (isolamento político pelo rompimento com CBF e FPA, briga com clubes rivais, falta de tato para colocar o Morumbi na Copa 2014, insistência em Ricardo Gomes num momento decisivo da Libertadores).
Já a oposição nem se quer se deu ao trabalho de lançar um candidato mais capacitado e identificado com os anseios do São Paulo Futebol Clube.
Esse senhor, Edson Lapolla, está mais preocupado com o bairro (onde imagino que resida) do que com o futuro do SPFC, tanto que sua “plataforma” será publicada num jornal da região.
Lapolla é o candidato daqueles que não querem o monotrilho, não querem estacionamento, não querem shows e não querem torcedores “circulando” por entre suas mansões. Em suma, são contra tudo aquilo que nos manterá “dentre os grandes, o primeiro”.
Acho que esta eleição é uma das mais pobres do tricolor. A situação deveria ter lançado outro candidato, e se JJ é tão importante assim, poderia ocupar uma diretoria na nova gestão. Já a oposição deveria ter trabalhado mais e buscado um alternativa viável. Só reclamar que JJ é ditador não adianta.
Pela falta de opção, prefiro aquele que ao menos trabalha pela grandeza do São Paulo Futebol Clube: Juvenal Juvêncio.

2 comentários:

Anônimo disse...

"Falta de opção" ... é assim que começam as ditaduras ... é interessante o fenômeno ocorrido no SPFC ... há alguns anos, as eleições era decididas em milímetros ... 1, 2 ou 3 votos separavam o vencedor do perdedor ... de repente, a oposição sumiu e o vencedor começou a levar as eleições de "lambuja" ...

Geraldo

Anônimo disse...

Que leve as eleições de lambuja, com candidatos fracos e nem um pouco preocupados com o clube, até uns meses atrás não sabia quem era esse cidadão, além do mais isso é que realmente abre brecha para a perpetuação: a incapacidade da oposição em levar uma eleição à sério e com responsabilidade, JJ está na dele, reformando o Morumbi, contratando jogadores de peso, investindo na base e foi Tri-campeão Brasileiro.

Também não gosto da ideia do terceiro mandato e nem como essa solução surgiu, porém é o que está aí de melhor, gente qualificada tem, mas muitos apoiam o JJ e as outras estão acomodadas na oposição ou na situação.

Helder

Postar um comentário