terça-feira, 19 de abril de 2011

Direitos de transmissão: Globo paga menos e exige mais

Reprodução: LANCENET 
Marcelo Damato e Alessandro da Mata

Com contrato assinado com a Globo, clubes têm de ceder mais e recebem menos

O contrato que o Clube dos 13 assinou com a RedeTV! para a cessão dos direitos de TV aberta dos próximos Campeonatos Brasileiros é mais favorável aos clubes do que os que as próprias agremiações assinaram com a TV Globo.
O LANCENET! conseguiu cópias dos dois contratos, bem como de outros contratos com a Globo – o C13 só promoveu até agora uma licitação.
A partir desta terça-feira começará a explicar os documentos que irão reger as transmissões do Campeonato Brasileiro pelos próximos três anos, caso o C13 vença a disputa, ou quatro, caso a Globo seja a vitoriosa – hoje o mais provável.
As diferenças entre os dois contratos de TV aberta são gritantes em vários pontos.


A primeira vantagem do contrato do C13 é o prazo. Com um acordo por três anos, em 2015, já estaria em vigor um novo contrato, com valores um pouco ou muito maiores do que o atual. Desde que a Globo assinou o primeiro contrato de transmissão do Brasileiro, em 1987, o valor jamais cresceu menos do que o índice de inflação do período. A maior variação de um triênio para outro foi de 100%. Assim, com o vínculo com a Globo, os clubes em 2015 deixarão de ganhar entre 15% e 100% a mais.
O vínculo mais longo e mais forte é a marca do contrato desenhado pela Globo e entregue aos clubes só para assinar. A única cláusula que esteve em discussão foi o valor. O contrato da RedeTV!, ao contrário, foi feito pela entidade de clubes.
O contrato da Globo, basicamente, faz mais exigências e oferece menos dinheiro e menos garantias do que o da RedeTV!
Uma das coincidências é o valor da multa em caso de atraso do pagamento de parcelas: apenas 2% de multa e 1% de juros ao mês. Isso significa que entre pagar a parcela e pagar um empréstimo, certamente a emissora vai optar por atrasar o primeiro.
Por fim, por todos os valores divulgados até agora, a Globo não pagará aos clubes o mesmo que eles conseguiriam caso tivessem ficado com o Clube dos 13. Para começar, o acordo da Globo mira apenas 18 clubes. Guarani e Portuguesa estão fora. E condenados a viver com as migalhas dos clubes menores.

‘Globo é real’, diz Paulo Odone
O Grêmio, um dos primeiros clubes a assinar o contrato de direitos de transmissão com a Globo, levou em consideração, especialmente, um pedido de seus patrocinadores.
– O contrato com a Globo é real. Tanto que já recebemos as luvas. Não dá para considerar só o valor direto, tem também fatores indiretos, como a visibilidade dos parceiros – diz o presidente Paulo Odone.
Apesar da explícita rivalidade com Fábio Koff, dada a influência no Tricolor gaúcho, Odone afirma que a decisão foi técnica.
– Ele foi irresponsável por assinar com a Rede TV!, que não apresentou garantias bancárias – frisa.

Bate-Bola - Aod Cunha (Ceo do Internacional)

Qual contrato parece mais vantajoso para você?
Defendemos desde o início a negociação coletiva, o melhor para o futebol. Tomamos por base ligas europeias, que extraíram valores maiores e melhor distribuíram os recursos.
Melhor a Rede TV!?
Houve um movimento e uma avaliação que não pôde se concretizar. Independentemente de quem teve culpa. Mas a licitação cumpriu o seu papel. Os valores, no fim das contas, são maiores e mais próximos do que todos queriam.

3 comentários:

Anônimo disse...

O melhor teria sido o leilão ABERTO, com todos os interessados na mesa, com a possibilidade dos lances, até se chegar ao vencedor ... simples, prático e indolor ...

Geraldo

Régis/SP disse...

Em suma, o cara de areia urinada meteu os clubes numa roubada.
De hoje a três anos (Clube dos 13) os contratos tenderiam a aumentar por conta de investimentos publicitários para a Copa. No quarto ano, obrigatoriamente, teria uma nova renovação que poderia ser muito boa para os clubes por conta do momento.
Mas os mais espertos fizeram um contrato de quatro anos (Globo), que acaba um ano depois da Copa, quando todos sabem que os investimentos tendem a cair no futebol, ainda mais porque serão canalizados para as Olimpíadas.
Isso indica que a renovação terá um forte argumento para não subir demais (se subir).
E o melhor de tudo: nesses quatro anos a Globo aumenta seu faturamento com a publicidade do futebol, sem aumentar em um único centavo os direitos dos clubes (exceto pay-per-view, pois quem paga indiretamente a conta, são os clientes da TV à cabo).
Por isso que os clubes estão cada vez mais falidos, enquanto a TV e a CBF ficam mais ricas.

PS: quem tiver dúvidas sobre a questão de faturamento pré e pós Copa, e tiver tempo sobrando, é só consultar a receita dos clubes de futebol alemão com publicidade até 2006 e depois a partir de 2007 (e 2007 foi um ano economicamente muito bom, pois foi antes da crise mundial de 2008).

Anônimo disse...

Imagina se o candidato da CBF ganhasse???

Andres fodeu com tudo.


Helder

Postar um comentário