terça-feira, 5 de abril de 2011

Governo federal deve ser avalista do Itaquerão

Reprodução: ESTADÃO.COM.BR

O BNDES teria recusado as garantias financeiras apresentadas pela construtora responsável

A cada dia o envolvimento do poder público com a construção do estádio do Corinthians, em Itaquera, fica mais evidente. O risco agora é que o governo federal entre como avalista do empréstimo de R$ 400 milhões necessário para a obra, uma vez que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teria recusado as garantias financeiras apresentadas pela construtora Odebrecht, responsável pela obra. A informação é do site Portal 2014.
De acordo com a reportagem, pessoas ligadas ao clube garantem que o aval da União não afetará o cronograma da obra. Está mantida a programação, que prevê início das obras para a segunda quinzena deste mês. A assessoria de imprensa do BNDES declarou que o banco não pode se manifestar a respeito de negociações que envolvam entes privados, como é o caso do Corinthians e da Odebrecht. Mas revelou que até o final da semana passada o banco não havia recebido formalmente o projeto e o pedido de empréstimo, passo fundamental para o início das negociações.

Bronca
O Itaquerão é o estádio de São Paulo apontado pela Fifa para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014. Os atrasos no início da construção motivaram puxões de orelha do presidente da entidade, Joseph Blatter, que na semana passada reclamou da demora na definição do projeto. Das 12 arenas da Copa, apenas o Estádio das Dunas, em Natal, apresenta o mesmo nível de atraso do estádio corintiano. "Temos a Copa das Confederações em 2013 e ainda não sabemos se o estádio de São Paulo e do Rio estará em condições para receber esse evento", disse Blatter, sem esconder o descontentamento com o andamento das obras. "A Copa do Mundo vai começar amanhã e os brasileiros acham que só vai começar depois de amanhã."

Comentário do blog
Pois é, o BNDES avaliou as garantias apresentadas pelo SCCP/Odebrecht e constatou que ela não eram boas, ou seja, não davam à instituição a certeza de que os tomadores do empréstimo teriam condições de pagá-lo. Então, o que fez o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social? Simplesmente disse “La garantia soy yo”,  e praticamente doou R$ 400 milhões (no mínimo) em dinheiro público.
Ah, mais um detalhe: nem sequer receberam o projeto do estádio.
Que beleza hein dona Dilma?

4 comentários:

Anônimo disse...

Eles poderiam dar como garantia o terreno... se o terreno fosse deles. É a famosa sopa de pedra, entram com nada e saem de barriga cheia.

MarcelloSPFC disse...

Nessas horas que eu me pergunto: Quem poderá nos defender?
Chapolim?

Anônimo disse...

Um esclarecimento: o BNDES, antes de analisar um projeto de financiamento, precisa enquadrá-lo em suas Políticas Operacionais e, até o momento, não foi apresentado nenhum projeto ao BNDES. Assim, o BNDES não doou e nem garantiu empréstimo algum ao SCCP. Por enquanto, tá todo mundo jogando verde para colher maduro....

Anônimo disse...

Senhores,

Vamos formar um grupo de cidadãos e entrar com uma ação na justiça embargando a obra. Estamos cobertos de razão e a obra está coberta de irregularidades. Temos que fazer a nossa parte e impedir a doação do dinheiro. Não sou advogado. Nao entendo nada de leis. Mas sei que estamos sendo lesados de várias formas. E que podemos fazer valer nossos direitos. A justiça no brasil é merda, mas é lenta. E nesse caso, que o tempo corre contra o caramijada.

Postar um comentário