quarta-feira, 18 de maio de 2011

Carpegiani mantido no São Paulo! Saiba como foi tomada a decisão

Reprodução: LANCE!NET
Bruno Quaresma
Gabriel Saraceni

Juvenal, que deu dura em Carpa e Rivaldo, apostou no projeto da base. Foram três reuniões no dia em que a diretoria rachou

Certou ou não, Juvenal Juvêncio teve motivo para não demitir Carpegiani: o treinador está de acordo com a filosofia do presidente em apostar nos jogadores revelados pelo CFA de Cotia. Este, pelo menos, foi o principal argumento do mandatário para pessoas próximas. Pesou também o fato de não encontrar no mercado alguém que desse a certeza de manter o projeto. A ideia é a de que, em no máximo três anos, tempo do mandato vigente, 90% dos atletas sejam formados pelas categorias de base.
A decisão foi tomada pelo presidente e pelo diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes. Antes da reunião com Carpegiani e Rivaldo, em que o auxiliar Milton Cruz também esteve presente, no início da tarde da última segunda-feira, a cúpula conversou em separado com o treinador, e definiu por sua permanência (veja mais abaixo) Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, foi contrário à decisão.
No bate-papo com Rivaldo, que entrou na sala após Carpa receber a notícia de que ficaria, foi decidido que os dois teriam de superar o problema público, que ganhou repercussão maior após eliminação para o Avaí. Juvenal chamou a atenção de ambos e proibiu qualquer tipo de desentendimento futuro. Depois, o meia se desculpou com os companheiros antes do treino.
Mesmo com a permanência da dupla, o clima não é bom entre eles. A relação será restritamente profissional. Além disso, no grupo, apesar do discurso contrário, Carpegiani não tem aprovação de todos. Na diretoria, conta com pessoas o querendo fora. A própria comissão técnica montada continua sendo questionada.
Juvenal temeu cometer mesmo erro de 2010, quando, após demitir Ricardo Gomes, apostou em Sérgio Baresi, que não vingou. Sem nome de consenso, por conta própria, apoiado por João Paulo, manteve Carpa. Em Rivaldo, viu potencial. Entende que o craque tem experiência e ensinamentos para dar aos garotos. E não quer que a passagem dele pelo clube seja um fiasco. Agora, é esperar pelos próximos capítulos. A pressão ainda é grande.

Como foi a segunda-feira, dia em que Carpegani e Rivaldo foram mantidos

Primeira reunião
O presidente Juvenal Juvêncio, acompanhado do diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes, reuniu-se com Carpegiani. Depois de conversa, na qual deixaram claro erros e acertos do técnico, decidiram mantê-lo no cargo. Sexta-feira, os dois, acompanhados do vice Leco e do auxiliar Milton Cruz, tinham optado pela demissão, que só não foi feita porque preferiram dar a notícia pessoalmente. Além disso, tinham de negociar multa de cerca de R$ 1 milhão, a que o técnico tinha direito por salários até o fim deste ano.

Segunda reunião
Depois da primeira conversa, Milton Cruz e Rivaldo também foram chamados. Juvenal enquadrou Carpegiani e o meia. Colocou sua posição sobre as declarações públicas de ambos e revelou que não aceitaria mais esse tipo de atitude no clube. Os dois pediram desculpas e prometeram se controlar. Juvenal revelou que conta com a dupla e que são importantes.

Terceira reunião
Comissão técnica e jogadores se reuniram. Deixaram claro que Carpegiani e Rivaldo iriam continuar no clube. O camisa 10 pediu desculpas para Henrique e Willian, jogadores que entraram no jogo contra o Avaí, enquanto ele ficou no banco, motivo da revolta com o treinador pós-eliminação

2 comentários:

Roberto Jr disse...

Acho que só adiaram uma decisão. Existem técnicos no mercado sim, ex: Celso Roth, Joel Santana e até o Zetti que já foi técnico das categorias de base do SPFC. Gente que aceitaria o projeto de promover atletas da base. Vamos torcer para dar certo sempre, mas acho que não dará. Carpegiani é fraco e não tem punch para conduzir o elenco do SPFC a ser campeão. Me parece que o JJ ficou com dó de gastar R$ 1 milhão. Vai sair mais caro 3 ou 4 derrotas no brasileirão, pois acho que o elenco vai querer derruba-lo agora, os jovens e os "velhos"....

Régis/SP disse...

Quanto ao Alex Silva, vejo uma série de pessoas o criticando por sua atual passagem pelo São Paulo, mas todo mundo esquece que em 2008, antes dele ir para a Alemanha, por falhas exclusivamente dele em pelo menos dois gols, o Fluminense nos eliminou da Libertadores naquela partida do RJ, justamente por um resultado de 3 a 1, o mesmo resultado da partida contra o Avaí, na quarta passada.

Naquele jogo, assim como em Santa Catarina, a atuação do Alex Silva foi desastrosa.

Tudo bem que ele tem demonstra muita raça, coisa que poucos têm, mas eu também tenho quando jogo futebol e nem por isso me qualifico para ser jogador do São Paulo.

Ele já seu o que tinha que dar.

Postar um comentário