sexta-feira, 6 de maio de 2011

Clubes brasileiros melhoram receita, mas dívida cresce

Reporodução: ESTADÃO.COM.BR
Almir Leite

Análise dos balanços de 25 agremiações mostra bons números quando se trata de faturamento, mas endividamento preocupa

A receita dos clubes brasileiros está melhorando, mas o endividamento cresce de maneira preocupante. É o que se conclui da análise dos balanços de 25 clubes - 17 deles da Primeira Divisão. As receitas, em 2010, atingiram R$ 1,88 bilhão, aumento de 14% em relação ao R$ 1,65 bilhão do ano anterior. Mas o endividamento cresceu 16% - R$ 3,61 bilhões contra R$ 3,11 bilhões.
Esse desequilíbrio tem consequências: apenas 4 dos 25 clubes apresentaram superávit no ano passado - Atlético-PR, Corinthians, Cruzeiro e São Paulo. "Houve um incremento importante de receitas e o total de R$ 1,88 bilhão pode ser considerado muito bom"", diz Amir Somoggi, diretor da área Esporte Total da consultoria BDO RCS. "Mas o endividamento cresceu muito (R$ 505 milhões em valores absolutos), isso assusta um pouco."
Santos, com R$ 46,1 milhões, e Corinthians, com R$ 31,6 milhões, são os clubes que tiveram maior incremento absoluto de receitas em 2010 (leia quadro ao lado e veja estudo completo no esportes.estadao.com.br.) Mas figuram entre os que as dívidas absolutas mais cresceram, embora os cariocas e o Palmeiras (que apresentou balanço e reviu os números após auditoria) estejam em pior situação.
Os paulistas estão entre os de melhores receitas. Dos seis que mais faturaram encontram-se Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos - Internacional e Flamengo são os outros. As receitas vêm, principalmente, de contratos de TV, patrocínios, bilheteria e negociação de atletas. "Mas há circunstâncias que contribuem para que os números sejam bons. O Inter, por exemplo, teve a venda do Estádio dos Eucaliptos", explica Amir. "Outros fatores atrapalham. O São Paulo ficou um tempo sem patrocinador e isso afetou a receita."
O analista destaca que a maior atenção dos clubes com ações de marketing contribui para a evolução. "Outro fator é a (verba da) TV, que vai pesar ainda mais a partir do novo contrato de transmissão, que começa a vigorar em 2012."
Os gastos, porém, continuam altos. "É aquele negócio: dinheiro entra, dinheiro sai." A receita para o equilíbrio: "Os clubes precisariam ter um modelo de gestão sustentável", diz Amir.

 

3 comentários:

Rogério disse...

As dívidas de alguns clubes já são impagáveis, alguns devem mais que R$ 300 milhões. Curioso também ver o FlorminenC, campeão (com as entregas) brasileño de 2010. Mesmo campeão conseguiu gerar um défict de R$ 42 milhões, mesmo alugando seu espaço na Série A para o plano de saúde. Não fossem os dirigentes tão sérios como são, pensariamos até que é lavagem de dinheiro.

Anônimo disse...

Olha que o ano passado foi tenso, pra dizer o mínimo, mas ainda bem que tudo deu certo, mas a dívida cresceu bem hein? Tem que ficar de olho, que não sigam o exemplos dos outros, dívida vc faz e paga, dar calote é coisa de safado, vagabundo.

Incrível, devemos menos que o Guarani... os dois, kkkk


Helder

Abel Junior - SPFC disse...

Guedex

Esse balanço aí foi feito pela BDO RCS que é uma empresa de propriedade de Raul Correa da Silva, diretor financeiro de um certo clube chamado SCCP.

Como diria o Sílvio Luiz

OLHO NO LANCEEEEE!

Postar um comentário