quarta-feira, 11 de maio de 2011

Fernandão puxa política de corte na folha salarial

Reprodução: Folha.com
Rafael Reis

Clube deverá liberar outros jogadores caros

O São Paulo do segundo semestre deve ser um time mais barato do que o atual.
Às vésperas do início do Brasileiro, o clube tenta se livrar de quem tem salário alto e pouco espaço no time.
O primeiro a sair foi o atacante Fernandão, que ganhava cerca de R$ 200 mil mensais e teve contrato rescindindo a seu pedido. O próximo deve ser o volante reserva Cleber Santana, outro com rendimentos nessa faixa. Ele tem proposta do Alético-PR.
O lateral Júnior César e o volante Rodrigo Souto também não devem permanecer.
A economia deve ficar completa com a transferência já consumada de Miranda para o Atlético de Madri. E ainda há a possibilidade de o São Paulo não conseguir manter Alex Silva, cujos direitos são do Hamburgo.
"Não estamos fazendo isso para ficar com caixa. Mas reduzir custos é uma política de boa administração", afirmou o vice de futebol Carlos Augusto Barros e Silva.
A folha salarial do clube gira em torno de R$ 4,5 milhões, mas não conta a maior parte dos ganhos de Luis Fabiano. A diretoria jura que não gasta mais do que R$ 200 mil com ele, que tem o salário completado pelo marketing.
Para fechar as contas no ano passado, o clube recorreu a R$ 40,6 milhões emprestados pelo banco BMG.
Amanhã, enfrenta o Avaí por vaga na semi da Copa do Brasil. Por ter vencido em casa por 1 a 0, joga por empate ou derrota por um gol de diferença (desde que marque).

Comentário do blog
Que beleza! O “clube exemplar” do JJ precisou de um papagaio de R$ 46 milhões para fechar 2010 no azul.
Já imaginaram a situação que o clube ficará se esse desempenho financeiro se repetir nos próximos três anos de mandato de Juvenal Juvêncio?
Preocupante.

2 comentários:

Rafael disse...

Temos que reconhecer que o ano passado foi atípico. É só olhar a queda na receita referente aos patrocínios no ano passado e o volume desse tipo de receita nos anos anteriores e principalmente no atual ano, que já alcança um total aproximado de 50 milhões anuais.

Anônimo disse...

Mas o JJ não era "a salvação da lavoura", o "único em condições de gerir o SPFC" ????

Geraldo

Postar um comentário