quinta-feira, 12 de maio de 2011

Inglaterra promete mandar provas sobre caso de corrupção que envolve Ricardo Teixeira

Reprodução: UOL

O presidente da Associação de Futebol da Inglaterra (FA), David Bernstein, se comprometeu a enviar provas à Fifa, de acordo com o andamento das investigações do parlamento inglês, sobre as acusações contra Ricardo Teixeira e outros três membros da entidade, feitas por Lord Triesman, na última terça-feira. O cartola afirmou que “cooperará plenamente” com a entidade. O pedido teria sido feito por Jerome Valcke, secretário geral da Fifa.
O ex-presidente da FA e da candidatura da Inglaterra como sede da Copa do Mundo de 2018, afirmou ter recebido pedidos de propina de Ricardo Teixeira, mandatário do futebol brasileiro, Jack Warner, presidente da Concacaf, Nicolas Leoz, presidente da Conmebol e de Worawi Makudi, diretor de futebol tailandês, para que dessem apoio à candidatura.
O cartola brasileiro rebateu as acusações feitas por Triesman e afirmou que vai processar o inglês por suas "declarações absurdas". Em nota publicada no site da CBF, Teixeira afirmou que uma delegação inglesa pediu seu voto num encontro em abril de 2010, mas que Triesman não participou da reunião realizada na sede da CBF.
De imediato a FA enviará um dossiê prévio, elaborado após as investigações de uma comissão do Parlamento inglês, criada para investigar os motivos que levaram a derrota do país para a Rússia. As demais provas serão enviadas no decorrer de novas investigações. Jerome Valcke teria pedido, inclusive, gravações.
Uma investigação feita pelo deputado Demian Collins e apresentada pelo jornal inglês Sunday Times dá conta de que o camaronês Issa Hayatou e o marfinense Jacques Anouma, membros da Fifa, teriam recebido 1,5 milhão de euros para votarem no Qatar como sede para 2022.

Nenhum comentário:

Postar um comentário