quinta-feira, 19 de maio de 2011

São Paulo cria novo espaço no uniforme e põe Ale

Reprodução: Máquina do Esporte
Guilherme Costa

A rede de postos de combustível Ale é a nova patrocinadora do São Paulo, que precisou inventar novas propriedades comerciais em seu uniforme para viabilizar o negócio. A empresa assinou contrato com a equipe tricolor até o dia 31 de dezembro deste ano.
O logotipo da Ale será exposto na perna direita dos calções do São Paulo, acima do número. O clube também colocará a marca da empresa em uma das omoplatas (a esquerda na camisa branca, a direita na camisa vermelha).
A Ale será a sexta empresa a estampar o uniforme do São Paulo. O time tricolor já possuía contratos vigentes com BMG (peito e costas), Yázigi (mangas), Copagaz (barra traseira da camisa ∕ calção), TIM (interior do número) e Reebok, que é a fornecedora de material esportivo.
O curioso é que o São Paulo sempre foi um dos maiores críticos da poluição de patrocínios no uniforme, prática que começou a se popularizar no futebol brasileiro quando o Corinthians usou aportes complementares para aumentar a remuneração do atacante Ronaldo em 2009. Até o ano passado, o time tricolor comercializava apenas a cota máster (peito e costas) e a barra da camisa ∕ calção.
Além do uniforme, a nova patrocinadora tricolor terá direito a oito placas no Morumbi, seis placas no CT da Barra Funda, 5% dos backdrops, 15 lugares no Camarote Fabuloso e 500 ingressos para jogos do São Paulo. A Ale não revelou o valor desembolsado pelo aporte.
A negociação com o São Paulo, que foi intermediada pela agência de marketing esportivo TFW, também terá participação do centroavante Luis Fabiano. Principal reforço do time tricolor para esta temporada, o novo camisa 9 participará ao menos de um evento oficial da Ale durante o ano e ainda cederá sua imagem para a marca – a empresa poderá usar fotos dele em peças de publicidade.
A Ale também patrocina atualmente o Vasco, clube em que a rede de postos aparece na omoplata. Em 2009, a empresa foi cotista máster do uniforme do Flamengo, que conquistou naquela temporada o título do Campeonato Brasileiro.

Comentário do blog
Infelizmente esse é um caminho sem volta. Até o Barcelona que nunca teve patrocínio em sua camisa e curvou e exibirá a marca da Qatar Foundation em seu uniforme.


Atualizado às 12h08
Segundo o globoesporte.com a distribuidora de combustíveis ALE irá pagar R$ 2,2 milhões por um período de sete meses.
A mesma matéria informa que o SPFC está negociando com o BMG a renovação do patrocínio máster por um valor entre R$ 27 milhões e R$ 29 milhões, bem abaixo dos R$ 35 milhões divulgados pelo LANCE!NET (veja aqui).
Como o novo contrato entrará em vigor no segundo semestre, quando Luis Fabiano deverá aumentar muito a exposição da marca SPFC, acredito que a informação do LANCE! esteja mais próxima da realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário