segunda-feira, 2 de maio de 2011

São Paulo oficializa alinhamento com dissidentes e deixa vice-presidência do C13

Reprodução: UOL

O São Paulo anunciou, por meio de uma carta publicada em seu site oficial, que não ocupa mais a vice-presidência do Clube dos 13. A postura do clube tricolor só confirma o alinhamento com os clubes dissidentes da entidade e a Globo, que já vinha acontecendo a olhos vistos nos bastidores.
"Honrado com a oportunidade e com a certeza de que o compromisso para o qual fomos eleitos já foi devidamente atingido, o São Paulo comunica formalmente sua renúncia ao cargo de vice-presidente desta entidade, informando que continuará colaborando integralmente com a valorização do futebol brasileiro, agora apenas na condição de associado", diz a nota, assinada pelo presidente do clube, Juvenal Juvêncio.
O afastamento entre São Paulo e a cúpula do Clube dos 13 já é notório há semanas. O clube tem um acordo verbal com a Globo e está muito próximo de ceder à emissora os seus direitos de transmissão dos próximos quatro anos de Campeonato Brasileiro. A parceria com a emissora carioca foi costurada pelo empresário e publicitário Roberto Justus, e incomodou Fábio Koff e companhia.
O presidente do Clube dos 13 considerava Juvenal Juvêncio seu aliado mais próximo na guerra de bastidores contra a Globo. Agora, tem ao seu lado apenas Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG, que já disse que o acerto com a atual detentora dos direitos de transmissão do Brasileiro é inevitável, já que 14 clubes já firmaram o contrato e outros três estão próximos de fazer o mesmo.
O São Paulo justificou a renúncia à vice-presidência do Clube dos 13 de maneira genérica, sem sequer citar a questão dos direitos de transmissão. "Não podemos fechar os olhos à realidade de que, atualmente, há manifesto dissenso entre o que foi idealizado em abril de 2010 e a atual vontade dos associados", disse a nota do São Paulo, referindo-se à data da última eleição de Fábio Koff, que venceu Kléber Leite, candidato apoiado pela CBF, na disputa pela presidência da entidade.
Na última quinta-feira à noite, Fábio Koff reuniu-se com Alexandre Kalil, seu último aliado, e Andrés Sanchez, presidente do Corinthians e primeiro a pedir para sair do Clube dos 13. Segundo Juca Kfouri, blogueiro do UOL Esporte, o mandatário corintiano teria pedido a cabeça de Ataíde Gil Guerreiro, diretor-executivo da entidade, que é ligado ao São Paulo.
Kalil e Koff, no entanto, negam a informação. O presidente atleticano diz, porém, que os dissidentes não têm interesse em manter o Clube dos 13, e que foi discutido na reunião como será o fim da entidade, com os devidos pagamentos das dívidas de cada clube.

Nota do blog
Clique aqui e veja a íntegra da Noto Oficial do SPFC

2 comentários:

Régis/SP disse...

Uma coisa que eu não entendo é o seguinte: para ficar ao lado do Clube dos 13 o São Paulo brigou com a CBF (votou contra o candidato deles na eleição do clube dos 13), perdeu o Morumbi na Copa, vai receber menos dinheiro que Corinthians e Flamengo nos direitos de TV, e agora informa que se retirou da direção da entidade. Para que tudo isso?
Que bela estratégia Juvenal...
Gostaria de saber onde e como (em que condições) ela foi decidida e planejada.

Anônimo disse...

Que país sem lei, um órgão regulador dita as regras e depois dá pra trás, só mesmo os grandes entendidos criticam a postura do SPFC nessa jogada todas, ficar e cumprir o combinado é sinônimo de burrice aqui no Brasil, da próxima é melhor sentar no colo e dar um beijo no capeta não? Cara e Areia Mijada que o diga...



Helder

Postar um comentário