sexta-feira, 3 de junho de 2011

Em jejum de título, São Paulo vê seus ex-comandantes em decisões de taças

Reprodução: UOL 
Bruno Thadeu


O São Paulo amarga período longo sem títulos. A última conquista ocorreu no Brasileirão de 2008. Eliminado da Copa do Brasil e Paulistão, a equipe do Morumbi ainda tem o Nacional e a Copa Sul-Americana para tentar salvar o ano. Paralelamente, dois ex-treinadores do clube estão próximos de serem campeões. Muricy Ramalho e Ricardo Gomes disputam finais de competições distintas.
Os dois técnicos têm relação direta com o jejum de título do time tricolor.
Presente na saga mais recente do São Paulo, Muricy foi demitido durante o Brasileirão de 2009. O argumento da diretoria era que a relação com treinador estava desgastada. Gomes o sucedeu.
Desde então, Muricy passou pelo Palmeiras, Fluminense e Santos. Com exceção do time alviverde, ele levantou taça nas outras duas equipes.
À frente do Santos, Muricy decide o título da Libertadores.
Ricardo Gomes também treinou o São Paulo nesta época sem conquistas do clube. O técnico está a um empate do título da Copa do Brasil. O Vasco derrotou o Coritiba no primeiro jogo das finais, 1 a 0, no Rio.
Agora distantes do Morumbi, Muricy e Ricardo Gomes adotaram mesma estratégia para recuperarem Santos e Vasco, respectivamente.
O Santos deixou de ser o time que tem o “DNA ofensivo”, propagado pelo presidente do clube, para ser uma equipe equilibrada. Desde que assumiu a equipe da Vila, foram quatro jogos sem sofrer gol no torneio das Américas.
“Expliquei para os jogadores alguns defeitos que via no Santos quando vinha jogar contra eles. Foi só acertar o posicionamento, a marcação, e nada mais. Com a bola no pé os caras sabem o que fazer. Em time que tem Ganso e Neymar é meio caminho andado”, diz.
Em busca do inédito título da Copa do Brasil, o Vasco tem em Ricardo Gomes importante figura nessa chegada à decisão. O treinador apostou em jogadores da base, organizando a estrutura da equipe. Com 24 jogos no comando do Vasco, Gomes perdeu apenas uma partida.

Comentário do blog
Realmente Muricy e Ricardo Gomes estão fazendo ótimo trabalho em seus clubes, mas na época em que deixaram o Tricolor as coisas não estavam indo nada bem.
Muricy estava desgastado com a diretoria e o elenco, o esquema tático, embora existisse, estava manjado pelos adversários.
Já Gomes não conseguiu definir ao menos um esquema para o time atuar. Chegou disposto a implantar o 4-4-2 mas foi “convencido” (assim como todos os demais técnico desde Cuca) a voltar ao 3-5-2. A meu ver um erro, mas isso é assunto para outra postagem.
Acho Muricy excelente e vejo Gomes como um bom treinador, mas na época fui a favor da troca dos dois.
Hoje a imprensa diz que o São Paulo errou, amanhã, caso o Santos perca a Libertadores e o Vasco, a Copa do Brasil, dirão que a diretoria foi sábia.

Um comentário:

Régis/SP disse...

Guedex,

Eu acho que essa situação deixa claro que o maior problema do São Paulo NÃO E DE TÉCNICO, mas sim de jogadores e dirigentes.

Como esses técnicos estão tendo sucesso nos seus atuais clubes?

O que não dizer de um Ricardo Gomes que treina um time teoricamente inferior ao São Paulo?

No caso do Muricy, sua vida é mais fácil, já que tendo Neymar, Elano e Ganso à disposição ele não precisa ficar tentando aqueles irritantes 'chuveirinhos' que o São Paulo insistia em fazer.

Mesmo que eles não ganhem nada, já foram mais longe do que na época em que estavam no São Paulo.

A grande verdade, pra mim, é que enquanto tivermos Dagobertos, Jeans, Juans, Pirulitos, Mirandas e Marlos's da vida, entre outros perdedores, pra mim, 'natos', somados a dirigentes e assistentes como Lecos e Milton Cruzes (não podemos esquecer as 11 contratações de 2010), podem trazer Mourinhos, Guardiolas e Felipões, que não vai adiantar nada.

Chega dessa geração Macunaíma na vida no São Paulo!!!

Postar um comentário