quinta-feira, 16 de junho de 2011

São Paulo ainda analisa propostas para cobertura do Morumbi

Reprodução: iG
Mário André Monteiro

Estádio do clube paulista segue em processo de modernização e deve ficar pronto em meados de 2013

Nos primeiros meses do ano, o São Paulo anunciou que o estádio do Morumbi ganharia uma cobertura, e que a empresa que pagaria pelo projeto estava muito próxima de ser anunciada, restando apenas definir os últimos detalhes jurídicos para concretização do acordo e a assinatura do contrato. O meio de 2011 está chegando e, até agora, o palco dos jogos do clube segue sem o parceiro comercial para realizar a reforma.
Mas existe uma explicação. "A gente tem conversado com a empresa, na verdade é mais de uma, porque entraram outras empresas interessadas, então tivemos que dar um tempo maior para ver essas propostas e analisar qual é a mais interessante", revelou à reportagem do iG José Francisco Manssur, assessor especial da presidência e membro do Comitê Morumbi 2014.
De acordo com Manssur, o custo dessa parte da reforma gira entre R$ 120 e 150 milhões. A empresa que for escolhida pelo São Paulo terá o "naming rights" da arena de shows que será criada, com capacidade para 25 mil pessoas. "A cobertura vai possibilitar que se tenha uma área interna para arena, sem afetar o campo. Uma casa de show, no tamanho que a cidade não tem. Ela teria um nome e essa empresa terá o direito de colocar o nome nessa casa de show por 10 anos", explicou.
A partir do momento que o contrato for assinado, o São Paulo terá 18 meses para concluir a construção da cobertura. E essa certa demora para fechar o acordo não preocupa Manssur. "É um prazo que dentro do nosso cronograma ainda está seguro e folgado para gente poder decidir com calma qual a empresa que a gente vai fechar para que ela pague o projeto na totalidade", disse o assessor.
No começo de abril, especula-se que o clube quase fechou com a Telefônica, quando a Sony, a Siemens e a Samsung entraram na disputa, com ofertas melhores, seduzindo o São Paulo e fazendo com que o anúncio fosse adiado. "Tem uma empresa que está na frente, mas temos contrato de confidencialidade e não podemos dizer os nomes das empresas que estão concorrendo", contou Manssur.
O dirigente admitiu que as outras obras internas, independente da cobertura, já estão avançadas. O anel inferior ganhou novos banheiros e camarotes, e a nova etapa agora concentra-se no anel do meio do Morumbi. "Estamos avançando bastante no anel intermediário. Vamos concluir isso até 2012, e em meados de 2013 vamos concluir a cobertura. Qualquer pessoa que vai ao Morumbi vai ver o que está sendo feito".

Comentário do blog
A única informação nova é o período de duração da cessão do “Naming Rights”: Dez anos.
Isso representa pelo menos R$ 1 milhão por mês. Vai ter que ter exposição para caramba na mídia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário