segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Balanço Copa 2014: Porto Alegre almeja aumento do turismo como legado da Copa


Reprodução: globoesporte.com
Márcio Iannacca

Prefeito da capital gaúcha sonha com Copa das Confederações e jogos até as quartas de final do Mundial, e afirma que o estado ficará mais conhecido

Jogos da Copa das Confederações, em 2013, e partidas até as quartas de final da Copa de 2014. Esses são os principais sonhos futebolísticos de Porto Alegre no planejamento da competição que acontecerá no Brasil. Mas os objetivos da cidade não se resumem apenas às quatro linhas. De acordo com a prefeitura, o potencial turístico deve aumentar com a realização do torneio no país. Esse será o principal legado que a competição deixará para a capital gaúcha.
Porto Alegre está dentro do cronograma traçado pela Fifa para a realização do torneio. As autoridades têm duas preocupações para seguir em frente. A primeira delas é a sequência das reformas do Beira-Rio. O Internacional, dono do estádio, fechou uma parceria com a construtora Andrade Gutierrez, mas ainda não assinou o acordo para as obras. A intenção é que tudo esteja pronto até dezembro de 2012.
Outro entrave é em relação à mobilidade urbana. O governo pretende dar início às obras do metrô, mas tudo depende da aprovação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) pela presidente da República, Dilma Rousseff. Se Porto Alegre estiver incluída, a cidade terá que mudar o planejamento para a Zona Norte da capital gaúcha.
- Posso garantir que todo o dinheiro público será investido em obras que ficarão como legado para a cidade – afirmou o prefeito José Fortunati, revelando que a cidade criou o Gabinete de Gestão Integrada para gerir os assuntos da Copa de 2014.
O GLOBOESPORTE.COM mostra a quantas anda o andamento das obras em Porto Alegre. Mobilidade urbana, legado e como estão os preparativos para o Beira-Rio receber os jogos da Copa do Mundo de 2014.

ESTÁDIO
As reformas do Beira-Rio serão bancadas pelo Internacional, com custo aproximado de R$ 300 milhões. O clube, por conta própria, iniciou as obras de fundação da cobertura que será colocada no estádio, que passará a ter capacidade para 60 mil torcedores. A expectativa de conclusão das obras é de dezembro de 2012.
De acordo com o prefeito de Porto Alegre, as obras estão paradas. Porém, com a assinatura do acordo entre o Internacional e a construtora Andrade Gutierrez, as reformas terão prosseguimento. A empresa ajudará com parte dos custos das obras do estádio, que será utilizado na Copa das Confederações e na Copa do Mundo.
- Esperamos que tudo seja acertado logo. A nossa intenção é que tudo esteja pronto até 2012 para que a cidade possa participar da Copa das Confederações – disse.

ANDAMENTO DAS OBRAS
A cidade de Porto Alegre está realizando dez grandes obras viárias, alargando ruas e avenidas. Além disso, a prefeitura está investindo em novos corredores exclusivos para ônibus e na requalificação dos mesmos para a colocação dos BRT's (Bus Rapid Transit). No entanto, a prefeitura ainda está à espera de uma definição do Governo Federal para definir como serão os investimentos na Zona Norte da cidade.
A decisão do Governo Federal vai dar a oportunidade ou não de a cidade dar prosseguimento à construção do metrô em Porto Alegre. Se estiver incluída no programa que será divulgado no próximo dia 27, o planejamento para a região das avenidas Assis Brasil e Farrapos será alterado, recebendo grandes modificações.
Os investimentos para a melhoria da mobilidade urbana em Porto Alegre vão girar em torno de R$ 520 milhões. A intenção é construir 27,3 km de BRT's, 12,4 km de corredores expressos e 2 km de vias expressas.

LEGADO PARA A CIDADE
De acordo com Fortunati, a Copa deixará vários legados em Porto Alegre. Mobilidade urbana, qualificação do transporte coletivo, segurança pública e saneamento básico. Para as autoridades, a cidade dará um salto de qualidade.
Para a prefeitura, além disso, Porto Alegre tem tudo para ver o potencial turístico crescer em função da Copa do Mundo. Indo além, a intenção é que o Rio Grande do Sul seja um dos estados mais visitados do país já a partir de 2012.
- Quando o Governo revelava há uns três anos o Brasil, através da Embratur, ele mostrava do Norte do país até Foz Iguaçu. O Rio Grande do Sul não existia. Com o evento Copa, nós passaremos a existir para o Mundo – disse o prefeito.

OBJETIVOS
A cidade não almeja a final ou a abertura, que devem ser confirmadas no Rio de Janeiro e em São Paulo, respectivamente, no fim de outubro, pela Fifa. Porém, Porto Alegre sonha ter jogos até as quartas de final da Copa de 2014, além de ser uma das sedes da Copa das Confederações, no ano anterior.
- Só queremos o que é possível. Não queremos a abertura e a final do Mundial – afirmou o prefeito de Porto Alegre.
Além disso, as autoridades têm um outro objetivo. Pela proximidade e pelas ligações culturais, a cidade sonha receber Uruguai, Argentina, Itália ou Alemanha.
- Gostaríamos de receber uma dessas quatro. Uruguai e Argentina pela proximidade. Nós teríamos uma invasão dos hermanos. E poderíamos receber também a Itália ou a Alemanha por termos no Rio Grande do Sul as maiores colônias. Eles sentiriam o calor humano, se sentiriam em casa – disse Fortunati.

HOTELARIA
Porto Alegre está qualificando a rede hoteleira, mas não apenas na capital gaúcha. Como a Fifa permite um raio de estabelecimentos em torno do local das partidas, o Rio Grande do Sul pretende utilizar as regiões dos Vinhedos, da Serra e das Hortênsias para atingir os objetivos planejados pela entidade máxima do futebol.
De acordo com a prefeitura, seis novos hotéis serão construídos até 2014. O investimento será feito por três grandes grupos internacionais.
- Estamos qualificando a nossa rede hoteleira. A intenção é que não apenas Porto Alegre seja utilizada, mas as áreas próximas da capital – revelou.

INVESTIMENTOS
Os investimentos públicos e privados para a realização da Copa do Mundo em Porto Alegre devem girar em torno de R$ 4 bilhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário