quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Balanço Copa 2014: Salvador tem estádio em ritmo 'bom' e mobilidade preocupante para 2014

Reprodução: globoesporte.com
Márcio Iannacca

Secretaria da Copa na Bahia diz que circulação dos torcedores pela cidade ainda não está resolvida e reclama de pouco investimento no aeroporto

Portugal, Holanda ou Espanha... Os três países têm fortes ligações com a história do Brasil. Mas em 2014, os nomes das três potências são lembrados por outro motivo, pelo futebol. Um dos três europeus é o sonho de consumo de Salvador para a Copa do Mundo. E é justamente pela vontade de ter portugueses, holandeses ou espanhóis que o poder público baiano tem investido em melhorias na capital, no entorno da cidade e na qualificação dos serviços.
Além de sonhar com as três seleções, o governo baiano já tem feito contatos com as federações locais. A Holanda já foi convidada e deu parecer positivo sobre um período de aclimatação em Salvador. Espanha e Portugal ainda vão receber um convite formal da cidade. Mas os objetivos da capital baiana vão além de receber os países. Para 2013, na Copa das Confederações, o sonho é ter a abertura ou a final do torneio.
- Temos a intenção de receber a Copa das Confederações, em 2013. O nosso cronograma está em dia. Queremos a final ou a abertura do torneio – disse o secretário para assuntos da Copa de 2014 em Salvador, Ney Campello.
E para receber a Copa das Confederações, a Fonte Nova deverá estar pronto até dezembro de 2012. Segundo o secretário, a situação das obras para a construção da arena é “boa”. Nesta terça-feira, o GLOBOESPORTE.COM vai mostrar a situação de Salvador para a Copa do Mundo. Confira abaixo como está o andamento das obras e a situação dos principais setores da capital baiana para a realização da competição em 2014.

ESTÁDIO
Orçada em R$ 591 milhões, a nova Arena Fonte Nova está em uma situação considerada “boa” pelo governo baiano. De acordo com a secretaria da Copa do Mundo de 2014 (Secopa), as obras no estádio estão dentro do calendário da Fifa. A expectativa é entregar o complexo pronto até dezembro de 2012 e receber os jogos da Copa das Confederações.
Na semana passada, o governo da Bahia conseguiu a liberação de 20% dos recursos que serão liberados pelo BNDES para a construção da Fonte Nova. Apesar de ser a intervenção mais complicada para o Mundial, a Secopa se diz tranquila quanto à entrega do estádio.
As obras de fundação da nova Fonte Nova estão praticamente concluídas. Com o término desta etapa, a construtora va iniciar a montagem dos pilares de sustentação das arquibancadas do estádio. A previsão é que a arena tenha capacidade para 50 mil torcedores.

LEGADO PARA A CIDADE
O ponto crítico de Salvador para a Copa é a mobilidade urbana. A Secopa está à espera do procedimento de manifestação de interesse (PMI) do governo do estado da Bahia para definir a melhor forma de deslocamento das delegações e dos torcedores que forem acompanhar o Mundial na capital baiana.
A Avenida Paralela será a principal via de acesso ao estádio. De acordo com o secretário Ney Campello, o governo entendeu que o legado é a mobilidade. Segundo ele, não existe a hipótese de ser criado apenas uma medida paliativa para a Copa. O deslocamento de 19 km poderia ser criado com facilidades. Porém, a idéia é finalmente implantar o metrô em Salvador.
Hoje já existem 6km de trilhos do metrô, mas que não são utilizados por falta de viabilidade operacional e tarifária. O objetivo do governo é colocar o sistema em prática e criar uma malha metroviária mais densa na capital baiana.

OBJETIVOS
Salvador sonha receber Holanda, Espanha ou Portugal. O convite para a federação holandesa, inclusive, já foi enviado pelo governo baiano. Os europeus viram de forma positiva a iniciativa e admitiram realizar um período de aclimatação no Nordeste.
O governo também tem como objetivo seleções como a Espanha, atual campeã do mundo, e Portugal. Este último por conta das ligações históricas. De acordo com a Secopa, o fato de Porto Seguro ter sido a porta de entrada dos colonizadores no Brasil pode facilitar o acerto com os lusos.
- Fizemos os convites para as federações e agora temos que esperar. Os holandeses demonstraram um grande interesse e passar um tempo em Salvador antes da Copa. Enxergamos que a Copa não é apenas ser uma cidade-sede. Indicamos mais de 60 centros de treinamento e 14 foram aprovados - afirmou Marcos Costa, da Secopa.

AEROPORTOS
De acordo com Campello, a capital baiana tem uma notícia boa e outra ruim sobre o Aeroporto Internacional de Salvador. A boa é em relação a capacidade do local. No Carnaval de 2011, a cidade recebeu mais de 400 mil turistas. E, segundo a Secopa, a Fifa estima que cerca de 70 mil torcedores circulem pela sede durante o Mundial.
- Não temos a mesma dificuldade de outros aeroportos. O que estamos fazendo é a modernização do terminal de passageiros, a ampliação do estacionamento, construção de uma cobertura e integração com o terminal. Além disso, ainda vamos fazer uma nova torre e ampliar o pátio - explicou Ney Campello.
O maior problema encontrado pelo governo baiano para as obras no aeroporto é o investimento da Infraero na cidade. De acordo com a Secopa, Salvador é a segunda sede com o menor aporte para reformas no setor.
- O Rio tem R$ 950 milhões. São Paulo tem R$ 1,1 bilhão para investimentos nos aeroportos. Fizemos uma reclamação na última reunião da Secopa para que os valores sejam revistos. Estamos recebendo do governo R$ 36 milhões para as obras no porto e R$ 45 milhões para o aeroporto. É muito pouco - lamentou.

HOTELARIA
Outro ponto considerado “tranquilo” para o secretário Ney Campello é o setor de hotelaria de Salvador. Segundo ele, atualmente a cidade tem 35 mil leitos, podendo chegar até a 50 mil caso sejam incluídas as regiões dentro do perímetro permitido pela Fifa para o alojamento de torcedores e delegações durante o torneio.
De acordo com a Secopa, até 2014, a cidade terá até 70 mil leitos. A expectativa é que 19 novos hotéis sejam construídos na capital baiana. A cidade já tem um financiamento do BNDES no valor de R$ 1 bilhão e outro que será liberado pelo BNB (Banco do Nordeste do Brasil).
Porém, para Campello, o governo de Salvador precisa ter duas preocupações no ramo da hotelaria: requalificação de pessoal nas principais redes da cidade e investimento maior na melhoria dos estabelecimentos já existente na na capital.

INVESTIMENTOS
De acordo com a Secopa, Salvador investirá R$ 6 bilhões para receber a Copa do Mundo de 2014. Metade desse valor será investido pelo poder público. A outra metade é do setor privado. A informação foi confirmada pelo secretário Ney Campello.

Nenhum comentário:

Postar um comentário