sábado, 17 de setembro de 2011

Pré-candidatos desconsideram Juvenal e já iniciam processo eleitoral no São Paulo

Reprodução: UOL
Renan Prates


As próximas eleições no São Paulo só ocorrerão em 2014. Mas os pré-candidatos já iniciaram o processo eleitoral no clube, apesar de não admitirem, algo que desagrada o atual presidente Juvenal Juvêncio. O mandatário do time tricolor, inclusive, é desconsiderado na disputa, pois todos acreditam que ele não será mais candidato ao quarto mandato consecutivo.
O primeiro a admitir publicamente que deve ser candidato foi o ex-superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, em entrevista ao Blog do Menon. “Há muita gente esperando ser ungida pelo Juvenal, esperando ser escolhido por ele, mas a eleição vai ser no voto. E eu sou candidato”, declarou.
Em entrevista ao UOL Esporte, Cunha adotou um discurso mais ameno, talvez ressabiado com as implicações sofridas por ter declarado ser candidato com quase três anos de antecedência.  “Não é que eu seja candidato. Sou um potencial candidato pela história que tenho no São Paulo. O conhecimento, amor ao clube e as minhas raízes me formam como um potencial candidato”, afirmou.
Cunha disse pertencer à situação, mas flertou com a oposição ao dizer que acredita que nomes como Edson Lapolla e Aurelio Miguel possam se unir ao seu projeto, e defendeu a tese de que Juvenal tem que se manter alheio ao processo. “Como grande presidente que ele é, cabe deixar o clube andar pelas suas próprias pernas”.
Outro nome que vem ganhando muita força nos bastidores é o de Adalberto Baptista, que virou recentemente diretor de futebol e tem a simpatia tanto de Juvenal quanto do vice-presidente geral, Carlos Augusto de Barros e Silva (Leco). Mas ele foi enfático ao dizer que não será candidato e até elencou os principais nomes da situação ao pleito.

Um comentário:

Anônimo disse...

Marco Aurelio não tem personalidade para ser presidente do São Paulo. Ano passado, Juca Kfoury noticiou que Kassab se reuniu secretamente com Teixeira e concordou em tirar o MOrumbi da copa mas pediu para Teixeira arranjar alguma justificativa para que ficasse mal para ele. Kassab ligou para JUca e não desmentiu a informação. "Saboneteou" meias respostas. Não sabemos o que foi que teixeira oferecu em troca. Provavelmente apoio na craicao do PSD e participação no lucros, mas não podemos afirmar. Mesmo assim, Marco Aurelio, tal qual um sabujo lambedor de mãos, foi para o partido que está sendo criado pelo prefeito. ELe nao precisava disso. FOi eleito por cidadão paulistanos que não querem ver dinheiro doado para fazer um estadio. E traiu essa confiança. E votei nele. E me arrependo. Um cara como esse não tem amor próprio, não tem personalidade para assumir um clube como São Paulo.

Postar um comentário