segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Queda de Adilson não é o fim dos problemas e sim o início


Após 22 jogos, sete vitórias, nove empates e seis derrotas (aproveitamento de 45,4%), Adilson Batista não é mais técnico do São Paulo.
Fim dos problemas do time? Infelizmente acho que não.
Agora vai começar aquela história de “procurar um técnico com o perfil do clube”, e é aí que os problemas começam, ou melhor, recomeçam.
A verdade é que há muito tempo não temos um profissional com o perfil do Tricolor. Um perfil vencedor e independente.
Ricardo Gomes, Baresi, Carpegiani e Adilson não tinham esse perfil, e sim, o que agrada a Juvenal: treinadores  buscando afirmação, que aceitam ter a autonomia de escalação e punição de jogadores cerceada, e que aceitem trabalhar seguindo a cartilha do “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.
Após Muricy Ramalho, todos os treinadores que passaram pelo clube não tiveram personalidade para se impor diante de JJ e isso, a meu ver, acabou sendo transmitido aos jogadores, criando um time também sem personalidade, submisso, conformado.
Então, é aqui, na escolha do técnico, que começam os problemas da equipe.
Precisamos de um técnico que tenha personalidade, coragem e autonomia para efetuar as mudanças no elenco que o clube tanto precisa.
Que não peça, e sim exija, a contratação de um meia para organizar o time. Que mostre à diretoria as deficiências do elenco e cobre uma atuação preventiva para as saídas da próxima janela de transferências. Que não se “borre” ao ouvir a torcida pedir esse ou aquele jogador.
Precisamos de um técnico que privilegie o grupo, afastando os acomodados e mimados. Que não aceite declarações “traíras” feitas via imprensa.
Enfim, precisamos de um técnico que honre as tradições do São Paulo Futebol Clube e não um que apenas satisfaça as vaidades de Juvenal Juvêncio.
Pessoalmente, acredito que a demissão de Adilson neste momento do campeonato, deva ter tido o dedo de Adalberto Batista, pois por JJ, o assunto seria empurrado com a barriga até o final do Brasileirão.
De qualquer forma, espero que Adalberto não seja mais um “cordeirinho de presépio” e puxe para si a responsabilidade da escolha do novo comandante.

Antes que me perguntem sobre os nomes que estão sendo especulados, já digo: não acredito na contratação de Felipão e rezo para que não cometamos mais um erro contratando o Paulo Roberto Falcão.
2011 tem tudo para ser mais um ano perdido, e só resta a nós torcer para que diretoria resolva o problema do comando técnico do time (ao invés de criar mais um).

14 comentários:

Anônimo disse...

guedex, o grande problema é encontrar alguém neste perfil.

vejo apenas 3 técnicos no brasil que tenham o perfil vencedor e independente: muricy, felipão e luxemburgo.

o muricy não vem e eu acho é bom. chega de muricy.

quanto ao luxemburgo, sou radicalmente contra (e parece que, felizmente, boa parte da diretoria também é). além disso, duvido que viria.

felipão é o nome mais viável. ainda assim, com o caminhão de dinheiro que recebe, não acredito em sua chegada.

restam nomes menos "consagrados" mas cuja competência já foi comprovada: abel, dorival, autuori... todos bem empregados.

no fim das contas, não seria surpresa se fosse feita mais uma aposta. a situação é crítica.

meu palpite é de que vamos com um interino até o fim do ano, na esperança de que algum dos citados acima seja demitido (exceto luxemburgo, que acho que não viria nem de graça).

Domingues disse...

Leão é o cara... só ele para dar jeito nesses jogares corpo mole... que falta de vontade de jogar bola.. pelamor...

Anônimo disse...

Juvenal, que ja teve meu respeito, está fazendo do São Paulo um clube igual aos outros; A começar pela usurpação da cadeira presidencial e a continuar pela falta de planejamento. O Birner fez uma análise muito feliz dos erros na contratação do Adilson:
http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2011/10/16/os-erros-de-adilson-e-da-direcao-do-sao-paulo/

Anônimo disse...

Escreveu bonito.... Deixa o Miltão até o final do ano e que a diretoria pense direito num nome neste periodo. A coisa ta dificil, técnico bom é dificil de encontrar até pq, cada dia que passa, eles estão mais refens dos jogadores, que agora "pensam", tem "opinião"... A coisa é bem complicada mesmo... Tanto que não tenho sugestão a fazer... Ou inventa algo novo ou traz de fora... sei lá...

Rogério ::: ... ... disse...

Não vou me estender muito sobre o assunto. Técnico do São Paulo FC tem nome e sobrenome: MURICY RAMALHO !!! Há quase 3 anos o Muricy deixou o São Paulo e, em conseqüência, este será o terceiro ano que o São Paulo não ganha nada. Para mim a discussão é vazia. Muricy que é o melhor técnico do Brasil, tem que estar dirigindo o melhor time do Brasil e fazê-lo campeão. O resto é tergiversação.

Régis/SP disse...

Guedex, o aproveitamento do Adilson a frente do São Paulo no Brasileiro, excluindo-se a Sul Americana, em 20 rodadas, foi de míseros 35%.
É o aproveitamento do Cruzeiro que está ameaçado do rebaixamento.
Se estamos entre os 6 primeiros, foi por causa do Carpegiani e do Milton Cruz.
Concordo com você que a saída dele não é o fim dos problemas, mas temos que começar a corrigí-los de alguma forma.
Trocando o técnico perna-de-pau já foi alguma coisa.
Um técnico covarde, que joga com 3 volantes para não perder e tem como alvo o empate, não dá. Para isso, é melhor contratar o Geninho, que tem o salário mais baixo, ou então o Rojas que sabia fazer um retranca como ninguém.
Quem vai vir? Não sei, mas qualquer coisa já é melhor que o Adilson.
Aliás, deveríamos é tentar descobrir quem foi o imbecil que o trouxe, pois ele não enganou ninguém. Suas campanhas a frente de Corinthians, Santos e Atlético foram tão ridículas quanto a dele a frente do São Paulo.
Por que ele iria fazer um trabalho diferente no São Paulo?

Rogério ::: ... ... disse...

Quebrando a promessa ... Vou falar mais um pouquinho. O problema não é só o técnico. Alguns jogadores precisam sair.

Nome aos bois: o enganador Dagoberto, o pé-de-vidro Fernandinho, o insuportável Carlinhos Paraiba, a dupla Jean & Juan, o horrível Marlos, o intragável Xandão.

Piris é, se muito, esforçado. Diria o mesmo do Cícero acrescentando apenas que é muita firula. Casemiro precisa ser enquadrado ou negociado. Denilson é comum e dá muita porrada, ainda bem que está emprestado.

Rodholfo deixou de jogar há um bom tempo e passou apenas a reclamar dos gols que o time leva, em boa parte por sua culpa. Seria MUITO BOM vendê-lo para a Juventus e com o dinheiro trazer o Breno e o Paulo Miranda do Bahia.

Rivaldo e Rogério Ceni. É chegada a hora da aposentadoria. O vínculo do Rivaldo não deveria ser renovado e o Rogério que tem mais um ano de contrato, e neste ano atingiu todos seus recordes pessoais, deveria passar a fazer parte da comissão técnica.

Entra ano e já estamos saindo de mais um ano e o problema do São Paulo desde 2008, por coincidência data do último título, continua o mesmo. Não temos laterais em nenhum dos lados. Não temos meia. E, não temos técnico.

Quando contratarmos um lateral direito, um lateral esquerdo, um meia e um técnico nossos problemas acabam. Poderia ter sido em 2009, mas ... Tomará que seja em 2012, depois de 3 anos perdidos.

stein disse...

concordo com o comentario acima na medida que os tecnicos sao cada vez mais refens dos jogadores. e digo mais, sao cada vez mais refens dos jogadores por causa da midia. guedex, vc q tb acompanha de longa data o futebol e nosso tricolor sabe como a "crasse boleira" tem impactado no ambiente do clube atraves de declaraçoes via imprensa. dagoberto, henrique e rivaldo sao tres exemplos recentes de jogador q utiliza esse expediente em nosso clube. tb nao acho q os jogadores ficaram mais "ligeiros", mas que aumenta cada vez o poder do empresario sobre atleta, que orienta as declaraçoes conforme o jogo da midia. foi por exemplo o jogo feito por henrique para renovar seu contrato a pouquissimo tempo. sera q nao existe um meio de coibir isso? por exemplo, em cada parede do spfc podia ter um sumario com todas as declaraçoes ou coisa assim, nao sei estou so especulando... nao havera comando enquanto a diretoria nao resolver esse tipo de problema, acredito. nesses ultimos 15 anos acho que tivemos exemplos suficientes de clubes dominados por empresarios pra sabermos no que dá...

Guedex disse...

Rogério,
Concordo com quese tudo que você falou. O "quase" é por causa do Rogério.
Se não fosse ele...

Rogério ::: ... ... disse...

Guedex eu entendo. Também concordo com o "se não fosse ele ..."

Mas vejamos, hoje vejo Rogério como mais que um goleiro. Ele comanda o time dentro de campo. Num dos últimos jogos ele gritava com o horrível Marlos para que este aquecesse que ele poderia entrar. Minutos depois ele entrou. A experiência dele, então, transcende as 4 linhas.

O São Paulo FC de hoje é, tito e dido, a cara do Rogério Ceni. E o cara faz chover e manda contratar.

Acredito que o São Paulo precisa de uma nova cara. E para isso o Rogério é fundamental, mas a meu ver fora de campo, emprestando sua experiência para moldar um novo São Paulo.

E para concluir, a diretoria não acertou ao demitir o Adilson Batista. Errou ao contratá-lo.

Régis/SP disse...

Rogério, as suas observações foram interessantes, mas reparei que na sua relação ficou faltando um "certo alguém".
Vou completá-la.
Vc já reparou que o último ano em que conquistamos alguma coisa, foi o ano que o Dagoberto foi efetivado como titular?
Coincidência, não?
Um jogador que veio com símbolo, status e salário de craque e até hoje não justificou todo o investimento nele.
Some em TODAS partidas importantes.
Quem frequenta estádio sabe que ele é um tumor para o time, pois fora dos holofotes das câmeras, anda em campo. Não marca ninguém e nem se posiciona adequadamente.
Este ano está jogando um pouquinho mais, justamente o ano em que se encerra o seu contrato. Curioso...
Mas joga para ele, não joga para o time, pois raramente toca a bola para o Lucas durante as partidas.

Xandão disse...

Pelo Rogério manda tudo embora, fecha as portas, pega outro CNPJ e abre outro clube... hua huahuhauhuah uhau hauh uahauh a

E eu sabia que ainda ia ver a turma pedindo de volta o Muricy. Sempre fui contra a demissão de melhor técnico do Brasil e, ainda por cima, sãopaulino.

Abraço!

Rogério ::: ... ... disse...

Régis, exatamente isso.

Para mim Dagoberto é, e sempre foi, carta fora do baralho. Não deveria haver esforço algum em sua renovação.

Embora a partir de amanhã já possa assinar um pré-contrato com qualquer outro time, pelos serviços prestados deveria cumprir o contrato e ser liberado somente em 18 de abril.

Poderia ir antes mediante compensação financeira.

E, caso encerrado. A partir de amanhã ele não será mais do São Paulo FC e a relação se resumirá a aturação mútua.

Como sempre disse, se é por falta de adeus, VAZA! E por educação, obrigado, por nada.

Rogério ::: ... ... disse...

Xandão, se for o jogador, meu filho vc não tem futebol prá jogar no São Paulo, e não querendoo ser repetitivo.

Há mais de 2 anos, não temos laterais, nem meia e muito menos técnico.

E existem jogadores que vieram pelo nome e não rendem o que deles se esperava.

O que fazer? Se vc entende que prá isso é preciso fechar as portas, pegar outro CNPJ e abrir outro clube, esquece-se das vitórias que já conquistamos.

Isso é um detalhe, perto da grandeza do São Paulo. E esse detalhe, também, tem nome e sobrenome: erro de planejamento da nossa diretoria.

A linha de planejamento está errada. Insistiu-se nela e acumulou-se o erro. Agora fica a impressão que tem muita coisa errada.

Não! As peças são substituíveis, inclusive na diretoria. Por isso são peças. A instituição sempre permanecerá.

Postar um comentário