terça-feira, 20 de dezembro de 2011

São Paulo FC anuncia parceria para projeto de modernização do Morumbi

Reprodução: Site Oficial do SPFC

Início das obras depende do alvará de liberação da Prefeitura de São Paulo

Foi anunciada na tarde desta terça-feira (20) a parceria entre o São Paulo FC e a empresa Andrade Gutierrez para o projeto de modernização do Estádio do Morumbi, que inclui a construção da cobertura do local. O evento contou com a presença do Governador do Estado, Geraldo Alckmin, do Prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, do Presidente do São Paulo FC, Juvenal Juvêncio, e do Vereador e Conselheiro são-paulino, Marco Aurélio Cunha.
Além da cobertura do estádio, o Morumbi vai receber uma arena multiuso para shows e eventos, um hotel com centro de convenções, um novo memorial, terá a capacidade do atual estacionamento ampliada e os acessos do público serão reconfigurados.  Durante as obras, a capacidade máxima para o público (67 mil pessoas) não será alterada, assim como a estrutura existente para receber os torcedores.
"Queremos fazer a cobertura do estádio, estádio que se moderniza a cada passo. O Morumbi precisa fazer a sua cobertura, a cidade precisa de um hotel nessa região, que é carente disso. Queremos hospedar aqueles que vêm pra cá. Temos nossos parceiros da Andrade Gutierrez, portanto, o insumo básico para essa obra. O projeto da cobertura já está protocolado junto ao poder público municipal, e gostaríamos de contar com a clarividência do governador para realizarmos a obra", afirmou o presidente são-paulino, Juvenal Juvêncio.
"É uma obra importante para o Esporte a modernização do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, a nova arena multiuso, o novo hotel, todo esse complexo esportista e turístico, são obras muito importantes pra cidade, estado e país. A grande dificuldade das megacidades é a mobilidade urbana, e teremos aqui a linha 4 do metrô, a mais moderna do país. Teremos em 24 meses a inauguração da estação de metrô próxima ao estádio. A cidade de São Paulo precisa ter estrutura, parabéns ao São Paulo", afirmou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.
"A nação tricolor merece essa obra. Em São Paulo teremos a Copa do Mundo, que criou circunstâncias para que o Corinthians seja apoiado em múltiplos aspectos para ter o seu estádio. Agora temos que ter o mesmo entusiasmo, energia, e pensar também nos outros clubes, para que eles fiquem no mesmo patamar. Nada mais justo do que criarmos condições para que o São Paulo também seja apoiado para que possa ter o seu estádio reformado, ajustado. Vamos fazer um esforço grande para fazer o correto", completou o prefeito Gilberto Kassab.

A cobertura
Para conseguir cobrir todos os assentos do Morumbi sem interferir na parte estrutural ou na comunicação visual da fachada do estádio, será instalada uma cobertura leve, com estrutura metálica e a menor quantidade possível de pontos de apoio em torno do estádio. A cobertura será suspensa por cabos e vai proporcionar também conforto acústico para os arredores do estádio.
A cobertura será viabilizada com recursos provenientes da exploração comercial dos espaços da arena de show e do hotel. O prazo de conclusão estimado é de 18 meses a partir do início das obras, que acontecerá assim que a Prefeitura de São Paulo emitir as licenças, alvarás e demais autorizações para a construção.
O projeto arquitetônico da cobertura é de autoria da empresa Projeto Alpha Engenharia de Estruturas, do engenheiro e especialista em estruturas metálicas Flávio D'Alambert, com a consultoria do renomado Ruy Ohtaque.

Arena multiuso e hotel
A arena multiuso visa receber um novo nicho de negócios para o clube: eventos para até 25 mil pessoas, demanda da cidade de São Paulo, que hoje não possui casas de espetáculos existentes para essa capacidade.
A arena ficará localizada em um ponto no qual nem o público nem o palco acesso ao gramado do estádio. Dessa forma, os shows não farão com que o estádio seja interditado para jogos devido à necessidade de montagem e desmontagem do palco.
O hotel terá quartos voltados para dentro e para fora do estádio. Os hóspedes poderão desfrutar de piscina coberta, equipamentos esportivos, centro de convenções para até três mil pessoas e acesso aos estádio e à arena.

Novo memorial e estacionamento
O novo memorial do clube terá o espaço ampliado para poder mostrar ao são-paulino grandes histórias dos 76 anos do São Paulo, um dos clubes mais vitoriosos do futebol brasileiro. Já o estacionamento vai ganhar mais vagas, partes delas destinadas ao estádio e divididas em dois andares. O restante das vagas ficará à disposição do hotel.

Sociedade de Propósito Específico (SPE)
Neste primeiro momento, o São Paulo FC e a Andrade Gutierrez vão assinar um memorando de entendimento que celebra a parceria entre o clube e a empresa. É com base nesse documento que a Andrade Gutierrez passa a ter legitimidade para buscar a aprovação das autoridades competentes e celebrar contratos com os demais parceiros do projeto.
A Andrade Gutierrez atuará como integradora do projeto para, juntamente com o clube, garantir sinergia e fluência nas negociações. A construtora será também responsável pelas obras.
O projeto não contará com aporte de dinheiro público, nem será investido qualquer valor proveniente do São Paulo Futebol Clube, seja do investimento direto do caixa do clube, seja pelo comprometimento de receitas atuais e/ou futuras. Os recursos serão viabilizados integralmente com receitas do próprio projeto, a partir de uma estrutura conhecida como Project Finance.
Após o término das obras, todo o complexo será administrado por uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), durante todo o período de operação, após o qual todas as benfeitorias realizadas no estádio se reverterão em favor do patrimônio do São Paulo FC.
A SPE será criada para gerir o negócio e composta pelos parceiros investidores do projeto, responsáveis pelo aporte dos recursos necessários que serão recuperados durante o período de concessão do hotel e da arena multiuso.
Ao São Paulo FC caberá fazer a cessão dos direitos de superfície do estádio do Morumbi à SPE e garantir a livre utilização pelos parceiros durante o prazo da concessão, que ainda será determinado entre as partes.

Um comentário:

Anônimo disse...

O São Paulo deveria fazer com q o morumbi voltasse a sua capacidade que era de 120 ou 150 mil pessoas, como era antigamente nos anos 60 até 90 pra isso era preciso reforçar as suspensões q suportam as partes superiores e claro além da cobertura e mexer também nos assentos fazendo do morumbi igual ao campy nuo estádio do Barcelona.

Postar um comentário