sexta-feira, 13 de abril de 2012

Drama ou comédia, reunião entre SPFC e Inter foi só encenação


A meu ver a reunião de ontem entre representantes do São Paulo e Internacional não passou de pura encenação.
As vésperas do parecer do ministro Renato de Lacerda Paiva, do TST, o clube de gaúcho quer passar a impressão de que tem boa vontade, estando disposto até a pagar pelos direitos do atleta e que o SPFC está sendo intransigente e impedindo que Oscar exerça sua profissão.
Por sua vez, ao receber a delegação colorada o Tricolor demonstra que mesmo considerando o jogador importante para o elenco e que contando com sua reintegração está aberto a ouvir propostas pelo atleta desde que sejam baseadas em valores que o clube considera justo, o que não seria o caso da proposta apresentada.
O São Paulo ficou de responder hoje se aceita ou a ofertado Internacional que, especula-se, foi entre R$ 7 milhões e R$ 10 milhões. Segundo o advogado do Inter, Daniel Cravos, o São Paulo não fez contraproposta.
Essa atitude dos cartolas do Morumbi serve para confirmar a posição do clube: o jogador não está a venda e só sai com o pagamento da multa.
Não ocorrendo o acerto entre os clubes a decisão ficará mas mãos do TST.
Ao se dispor a pagar pelo atleta o Inter quer forçar que o valor da multa seja arbitrado pela justiça.
E é aí que mora o perigo.
O caso agora está se assemelhando a um jogo de poker onde o Inter tá no blefe, o SPFC tem um parzinho na mão e só tem mais uma carta para ser virada. O “croupier” é o Exmo. Min. Renato de Lacerda Paiva.
All in!

Atualização 12h
São Paulo recusa oferta do Inter e insiste: quer Oscar noMorumbi

2 comentários:

Carlos Balaró disse...

Encenação ou não, o fato é que o magistrado deve julgar com base no que está nos autos; aliás, há um brocardo que diz: "o que não está nos autos não está no mundo". Tem muita gente falando bobagem e critindo o SPFC, porém se esquecem do seguinte: tivemos um problema com o Goiás num caso que envolvia o André Dias, que simplesmente não pode jogar enquanto as partes não se ajustaram, fato que o tirou da Libertadores daquele ano. Quanto ao fato de o Oscar ter escolhido o Inter para jogar (e aqui todos dizem que o trabalhador é livre para escolher o sem empregador e blá, blá, blá...), tudo ficará acertado se a decisão do TRT/SP for revogada, o que não pode ser feito neste momento pelo Ministro Renato Lacerda Paiva (nasceu no Rio de Janeiro mas fez carreira na Justiça do Trabalho de São Paulo), ou caso seja paga a devida indenização pelo rompimento do contrato (e aqui temos o complicador do valor em razão do fato dele ter abandonado o SPFC há quase dois anos e ter se valorizado no mercado do futebol, o que certamente deverá ser contabilizado na apuração do valor devido). Todo o resto, a meu ver, é balela ou recalque de outros torcedores que gostam de criticar ou que vivem das críticas ao nosso Tricolor.

Roberto jr disse...

Uma das poucas coisas que funcionam nste pais eh o contrato, nao havendo clausula leonina (nao me parece o caso) deve ser respeitado e cumprido a risca. Por isso creio que ele deve acompanhar o TRT paulista mas depois dele tem o STJ e o STF para recorrer ainda, não? O resto eh xororo de revolucionario aposentado e comunista frustado, ne Juca Kfouri?

Postar um comentário