sexta-feira, 27 de abril de 2012

E o Oscar, a estatueta, vai para a “Justiça” brasileira


Ao invés dar minha opinião, vou expor abaixo alguns fatos para que você mesmo forme a sua a respeito da “Justiça” brasileira:
  • Guilherme de Pádua Pádua matou Daniela Peres a tesouradas e a “Justiça” lhe concedeu liberdade após cumprir apenas seis anos de prisão;
  • Cesare Battisti, italiano condenado em seu país por prática de terrorismo e quatro assassinatos, sendo que em um deles colocou fogo em um apartamento onde estavam somente uma criança e um adolescente (se tiver estomago veja aqui a fotografia de um deles agonizando na janela do apartamento em chamas), recebeu da “Justiça” brasileira o direito de permanecer vivendo livremente no país;
  • Salvatore Cacciola, autor de crimes contra o sistema financeiro que lesaram milhares de brasilerios, foi posto em liberdade pela “Justiça” em meados deste mês após cumprir apenas três anos de sua pena;
  • Esta semana um morador de rua da região da Cracolândia conseguiu na “Justiça” um Salvo Conduto que impede que ele seja sequer abordado pela polícia;

Em vista dos absurdos descritos acima, a “Justiça” brasileira abrir o precedente de que neste país os contratos não precisam ser cumpridos é café pequeno.
Só um exemplo do que será esse pais: O Datena, que deve R$ 20 milhões para a Band e R$ 25 milhões para a Record por quebra de contrato, deve estar esfregando as mãos...
Realmente a Justiça Brasileira é “digna” de um Oscar, o futebolista.

Ps.: Antes que alguém venha me dizer que a Justiça também cometeu acertos gostaria de lembra-los que ela existe exatamente para isso, ser justa.

6 comentários:

rodrigo disse...

SE o SPFC amargar prejuizo(perder em definito o Oscar), eu fecharia Cotia com o tempo, deixava todos os jogadores que estão lá terminarem sua “formação” mas não investia mais um centavo em formação de jogador.

Com o dinheiro gasto em Cotia para formação de atlelas saia no mercado buscando possíveis talentos em outros clubes.

Em tempo eu estou com muita dó, do coitadinho do Oscar(escravo), o SPFC não cuidou dele de forma correta.

Em Cotia o Oscar tinha moradia, salário, cuidados médicos, escola, depois quando renovou contrato com o SPFC ele ganhou luvas, aumento de salario, e no contrato dele tinha progressão de salario, enquanto isso o trabalhador comum (não escravo)…

Ah como eu queria ser um trabalhor(escravo) igualzinho jogador de futebol.

José disse...

Falou tudo. Na minha cabeça, a Justiça é aquela instituição que serve aos juízes, nada mais. Serve para eles terem um ótimo padrão de vida e benefícios vitalícios inclusive quando são pegos em corrupção. Nada mais que isso. Se a Justiça fosse ao menos justa, apesar de lenta, se aguenta. Mas lenta e injusta, levantando desconfianças sobre as verdadeiras intenções dos responsáveis pelos julgamentos e decisões, este país não vai pra frente.

Só um caso: outro dia, numa conversa sobre os motivos para os juros serem tão altos neste país, enquanto meus amigos ficavam no óbvio, lembrei a eles um motivo dos altos juros - a insegurança jurídica. O Brasil é um dos poucos países (ainda considerado sério) em que o fulano pega um puta dinheiro no banco, compra uma casa e, se não pagar depois, a Justiça dá ganho de causa para ele, desde que seja a única casa para ele e a família. É socialmente justo? É. É legalmente justo? Não. O que acontece é que todos os outros brasileiros, que são honestos, pagam a conta do pilantra que dá golpe. Todos pagam um juros mais caro porque uns espertos dão calote. Nos Estados Unidos, o juiz não quer nem saber: perde a casa, vai pra rua, com filho e tudo. No máximo, o que é bastante comum, o juiz determina que o caloteiro pague uma parcela mínima por mês (é o tal efeito educador que o Navarro tanto tem batido na tecla). Lá, se fulano deve, tem de pagar - e não é quando puder, não. Os caras lá em cima podem estar numa crise econômica, mas tem um nível de desenvolvimento (não só econômico, mas jurídico e institucional) de dar inveja. E aqui a gente tem de conviver com esses desembargadores e juízes que misturam ideologia própria com lei ...

Anônimo disse...

Talvez eu seja ingênuo, mas acho que uma coisa (direito de ir trabalhar onde quiser) não implica na outra ("direito" de não pagar a multa).

Eu acho que o São Paulo deveria cobrar judicialmente a multa. E obter o confisco dos bens e do salário para o pagamento.

Anônimo disse...

Engraçado toda decisão acontece na calada da noite e envolve politico, nós São Paulinos também não queremos essa zica usando o manto,mas que ela pague o clube formador, mas como a justiça brasileira é cega e falha sempre beneficia o infrator, então vá.... (faça o que tu queres, pois é tudo da "lei"), direitos todos querem, e os deveres em Oscariotes? Fácil assim não, marionete. Os vermes passeiam na lua cheia, e também em noites chuvosas.
Arlete

Roberto Jr disse...

marquem bem esse momento, pois ele é histórico. Estão transformando o futebol brasileiro no futebol peruano, ou equatoriano... pouco importa. Sem leis que garantam os ganhos necessários para que clubes formadores atuem, nosso futebol virará uma selva de empresários, onde conceitos como ética, respeito e carater estarão totalmente de lado e ai sim, teremos escravos, não de clubes, mas de empresários. os clubes ainda tentam formar homens e os empresários? apenas produtos em uma prateleira que estará cada dia menos valorizada, o futebol brasileiro e a seleção brasileira..... que pena....

Simões disse...

Ao dono do Blog: Que tal mandar seu relato " e o oscar vai p/a justiça Brasileira" para o Ministro(Juiz) CAPUTO? para que ele veja a foto da vitima do Cezare Batisti?O que eu acho é que ele pode entender bastante do direito trabalhista MAS.. não sabe nada sobre o direito desportivo,só assim se justifica seu H.C. a favor do jogador.

Postar um comentário